Cerveja pode ser elemento chave na prevenção do Alzheimer; entenda

Estudo mostrou que agente estabilizador em todas as cervejas, pode ajudar a retardar o surgimento do Alzheimer

Avalie a matéria:
No Brasil, 1,2 milhão de pessoas vivem com alguma forma de demência e 100 mil novos casos são diagnosticados por ano | Reprodução: Internet

No dia 21 de setembro, é celebrado o Dia Mundial da Doença de Alzheimer, 2023 marca o 12º ano da campanha com iniciativa global que objetiva aumentar a tão necessária conscientização e desafiar o estigma e a desinformação que ainda envolvem a demência. No Brasil, cerca de 1,2 milhão de pessoas vivem com alguma forma de demência e 100 mil novos casos são diagnosticados por ano. Em todo o mundo, o número chega a 50 milhões de pessoas.

Segundo estimativas da Alzheimer’s Disease International, os números poderão chegar a 74,7 milhões em 2030 e 131,5 milhões em 2050, devido ao envelhecimento da população. Esse cenário mostra que a doença caracteriza uma crise global de saúde que deve ser enfrentada. Diante da batalha contra a condição, a indústria farmacêutica emprega esforços para entender o funcionamento da doença que atinge milhões de pessoas em todo o mundo. 

Em meio às inúmeras descobertas, uma delas chamou a atenção da classe médica: a cerveja pode ser um elemento chave na prevenção à doença. Segundo pesquisadores da Universidade de Milano-Bicocca, na Itália, os extratos de flores de lúpulo, um dos principais compostos presentes na bebida, podem ajudar a proteger a função cognitiva e , consequentemente, retardar o aparecimento de distúrbios cerebrais.

Na pesquisa foram testadas quatro variedades comuns de extratos de flores de lúpulo. A ideia era determinar se eles ajudariam a prevenir a aglomeração de proteínas cerebrais associadas à doença de Alzheimer. Entre os lúpulos testadas incluíram os tipos Cascade, Saaz, Tettnang e Summit, que os pesquisadores expuseram a proteínas amiloides e células nervosas humanas.

Com os resultados do estudo, foi revelado que eles foram capazes de bloquear as proteínas beta amiloides de se aglomerarem em torno das células. Além disso, o lúpulo contém propriedades antioxidantes que se acredita proteger as células do corpo. Extratos de lúpulo na cerveja também desencadearam um processo de renovação chamado vias autofágicas. É aí que o corpo se decompõe e reutiliza partes de células antigas para aumentar a eficiência.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES