Exclusivo Alan contraria desejo de Dr. Pessoa e Orçamento Popular fica em 2025

O vereador destacou a importância da LDO como uma peça fundamental para a criação do orçamento municipal

Avalie a matéria:

Por Fabrício de Freitas

Na manhã desta terça-feira (9), o vereador Alan Brandão (PRD) discutiu sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2025 da Prefeitura de Teresina. Sete emendas foram apresentadas ao projeto da LDO, que está sob a relatoria do vereador. A votação final do texto deve ocorrer até quarta-feira (10) no Plenário da Câmara Municipal.

CONTINUIDADE DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

Uma das emenda destacadas pelo vereador é a garantia da continuidade do orçamento participativo, permitindo que a população e associações comunitárias possam influenciar nas decisões orçamentárias. Brandão enfatizou que esse mecanismo é essencial para a inclusão da comunidade no processo político e para assegurar que as necessidades reais dos bairros sejam atendidas. Vale mencionar que a garantia da continuidade do orçamento participativo vai de encontro ao desejo do governo Dr. Pessoa (PRD), uma vez que este propôs que tal segmento da LDO fosse extinto na capital.

Vereador Alan Brandão em entrevista ao Banca do Sapateiro - Foto: Raíssa Morais/MeioNews

criação do orçamento municipal

Além disso, Alan Brandão destacou a importância da LDO como uma peça fundamental para a criação do orçamento municipal. Ele explicou que o projeto inclui autorizações para concursos públicos, operações de crédito e emendas parlamentares. "A LDO traz as metas fiscais, os riscos fiscais e autoriza ações cruciais para o funcionamento da administração pública", afirmou Brandão.

Além das questões técnicas, o vereador ressaltou a inclusão de emendas que autorizam o chamamento de aprovados em concursos públicos, como os da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) e para fiscal de serviços da prefeitura. Brandão mencionou que essas emendas foram aprovadas por unanimidade e já compõem o texto que será encaminhado para sanção do prefeito Dr. Pessoa.

Para mais informações, acesse meionews.com

Veja Também
As opiniões aqui contidas não expressam a opinião no Grupo Meio.


Tópicos
SEÇÕES