Principais cabos eleitorais do PT, Rafael e Wellington reforçam união

Fonteles elogiou o senador licenciado e destacou sua admiração por Wellington Dias, expressando gratidão pela amizade e ressaltando a humildade e dedicação do ministro em favor dos necessitados.

Avalie a matéria:

O governador Rafael Fonteles e o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Wellington Dias, ambos do PT, se reuniram no final de semana no litoral piauiense. Durante o encontro, ambos posaram para uma foto que foi compartilhada nas redes sociais do governador.

Fonteles elogiou o senador licenciado e destacou sua admiração por Wellington Dias, expressando gratidão pela amizade e ressaltando a humildade e dedicação do ministro em favor dos necessitados. O governador agradeceu a Deus pelo tempo dedicado à conversa sobre o Piauí e o Brasil, desejando luz divina para Wellington Dias.

Leia Mais

Nos bastidores, havia especulações sobre uma possível discordância entre Fonteles e Wellington Dias, especialmente relacionada à acomodação de aliados na gestão estadual. Ambos são figuras proeminentes do PT no Piauí, e a avaliação é de que precisarão estar unidos para garantir sucesso nas eleições municipais, especialmente nos municípios de porte médio e grande.

Rafael Fonteles e Wellington Dias unidos (Foto: Reprodução/Divulgação)No mês passado, durante a Conferência Eleitoral do Partido dos Trabalhadores em Brasília, Rafael Fonteles destacou os resultados positivos do partido no estado, mencionando o alto percentual de eleitos para as Casas Legislativas, o maior do país proporcionalmente para a legenda.

O governador projetou a força governista e, apoiado na boa avaliação de sua gestão e na popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estimou que o PT e partidos aliados poderiam conquistar 80% dos prefeitos do Piauí nas eleições de 2024, deixando apenas 20% para a oposição.

Se essa projeção se concretizar, o PT terá aproximadamente 90 prefeitos em 2024, somando-se aos aliados para alcançar 180 líderes municipais, enquanto a oposição ficaria com 44 prefeituras, um número inferior ao planejado por outros partidos, como o Progressistas, que mira alcançar 50 prefeituras.

Veja Também
As opiniões aqui contidas não expressam a opinião no Grupo Meio.


Tópicos
SEÇÕES