Memória

Coluna sobre fatos históricos, acontecimentos e pessoas que marcaram a história da humanidade

Lista de Colunas

Governo decreta o confisco de todas as poupanças dos brasileiros

Esta certamente foi a mais dura e traumática medida governamental a atingir diretamente as pessoas em toda a história política do país

Avalie a matéria:

O dia 16 de março ficou para a história do Brasil como um dos acontecimentos mais chocantes e traumáticos para seu povo. Foi nesta data, no ano de 1990, que Fernando Collor de Mello, um dia depois de ter tomado posse na Presidência da República, decretou o confisco de todas as poupanças depositadas em banco por cada um dos brasileiros. Esta certamente foi a mais dura e traumática medida governamental a atingir diretamente as pessoas em toda a história política do país.

Collor fora eleito em 1989, derrotando Luiz Inácio Lula da Silva, numa eleição duríssima, durante a qual Lula sofreu toda sorte de ataques, contando com a ajuda direta da Rede Globo, que manipulou debates para favorecer Collor.

Governo decreta o confisco de todas as poupanças dos brasileiros - Imagem: Reprodução

O governo resolveu botar a mão no dinheiro de poupadores com a justificativa de combate à inflação. Coube à economista Zélia Cardoso de Mello, primeira e única mulher a comandar o Ministério da Fazenda, anunciar o Plano Brasil Novo, que passou a história simplesmente como Plano Collor. Além de uma reforma administrativa ampla, da abertura da economia, de congelamento de preços e salários, a parte mais explosiva do plano consistia no bloqueio, por 18 meses, dos saldos superiores a NCz$ 50 mil nas contas correntes, de poupança e demais investimentos. Além do confisco, a ministra anunciou ainda o corte de três zeros no valor da moeda e a substituição do cruzado novo pelo cruzeiro.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link




As opiniões aqui contidas não expressam a opinião no Grupo Meio.

Tópicos
SEÇÕES