Embolia Gasosa Arterial: Conheça condição que colocou Saulo Poncio na UTI

O influenciador foi internado às pressas após sentir fortes dores no tórax na última noite desta terça-feira (3)

Avalie a matéria:
A embolia gasosa arterial é uma das principais causas de morte entre mergulhadores. | Reprodução: Internet

Na última terça-feira (3), o cantor e influenciador Saulo Poncio foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), diagnosticado com embolia gasosa arterial cardíaca, após sentir fortes dores no tórax, de acordo com sua equipe. A embolia gasosa é caracterizada pela presença de ar obstruindo a circulação sanguínea. No caso de Saulo, isso ocorre na entrada de ar na circulação arterial.

"Na noite de terça-feira, Saulo deu entrada na emergência após sentir fortes dores no tórax. Após avaliação, os médicos desconfiaram de um possível infarto por conta da similaridade dos sintomas. Realizados todos os exames, Saulo foi diagnosticado com embolia gasosa arterial cardíaca, e no momento encontra-se na UTI. Qualquer visita está proibida, e os compromissos agendados estão cancelados. Em breve traremos atualizações", diz o comunicado.

O que causa essa condição?

O embolismo gasoso arterial é um evento potencialmente catastrófico, o qual ocorre quando bolhas de gás entram ou se formam nos vasos arteriais e ocluem o fluxo sanguíneo, causando isquemia do órgão. O embolismo gasoso arterial pode causar lesão do sistema nervoso central com rápida perda de consciência, outras manifestações do sistema nervoso central, ou ambas, o que pode afetar outros órgãos.

Sintomas

Os sintomas da embolia gasosa arterial geralmente surgem ao fim de alguns minutos após ter sido alcançada a superfície. A embolia gasosa arterial no cérebro é semelhante a um acidente vascular cerebral, que tem como resultado confusão e paralisia parcial ou perda de sensação. Algumas pessoas sofrem perda de consciência repentina ou convulsões. Uma embolia gasosa arterial grave pode levar a choque e morte.

Outros sintomas podem resultar de um barotrauma pulmonar subjacente ou doença de descompressão, ou ainda de embolia gasosa arterial em qualquer dos seguintes:

  • Artérias do coração (ataque cardíaco, ritmo cardíaco anormal, parada cardíaca)
  • Pele (manchas cutâneas preto-azuladas, língua pálida)
  • Rins (sangue ou proteína na urina, insuficiência renal aguda)

Tratamento

As pessoas com embolia arterial gasosa são colocadas deitadas imediatamente e recebem oxigênio. Elas devem retornar assim que possível a um ambiente de alta pressão, para que as bolhas de ar sejam comprimidas e forçar a se dissolverem no sangue. Muitos centros médicos possuem câmaras de pressão elevada (de recompressão ou hiperbárica) para este objetivo.

Voar, mesmo que seja à baixa altitude, reduz a pressão atmosférica e faz com que as bolhas se expandam mais, mas o transporte aéreo pode ser justificável caso desta forma se ganhe tempo substancial na deslocação das pessoas para uma câmara adequada. Se possível, as pessoas devem viajar em um avião, cuja pressurização seja equivalente à do nível do mar, ou o avião deve voar a uma altitude baixa, conforme as normas de segurança. Também se recomenda oxigênio suplementar para a respiração.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES