Essa fruta que você tem casa reduz o risco de ataque cardíaco em 21%

A doença cardiovascular é responsável por quase 18 milhões de mortes, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS)

Avalie a matéria:
O estudo durou mais de 30 anos com mais de 68 mil mulheres e 41 mil homens | Reprodução: Internet

Um novo estudo publicado no Journal Of the American Heart Association (AHA), trouxe uma excelente notícia para os apreciadores de abacate: comer a fruta regularmente pode ajudar a reduzir o risco de ataques cardíacos em homens e mulheres. O resultado veio quando os abacates foram usados como substituto de manteiga, queijo ou carnes processadas. 

A doença cardiovascular é responsável por quase 18 milhões de mortes todos os anos no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Prevenir doenças cardíacas é um desafio constante e inclui a manutenção da pressão arterial, peso e colesterol, além da prática regular de exercícios e alimentação equilibrada.

O fato de algo tão prazeroso quanto comer abacate pode contribuir para esta prevenção traz um alento para muitos, principalmente para aqueles que vivem em países como os Estados Unidos, onde a doença cardíaca é responsável por uma morte a cada 36 segundos.

As pessoas que consomem pelo menos duas porções de abacate semanalmente têm seu risco de ataque cardíaco reduzido em 21%. Isso em comparação com aqueles que evitam ou raramente consomem a fruta. Entretanto, o mesmo benefício acabou não sendo observado na redução do risco de acidente vascular cerebral.

Definida como “meio abacate ou meia xícara de abacate, que pesa aproximadamente 80 gramas”, uma porção do fruto é suficiente para se obter os benefícios. Lorena Pacheco, autora do estudo e pesquisadora de pós-doutorado no departamento de nutrição da Escola de Saúde Pública TH Chan de Harvard, em Boston, reforça, entretanto, que “nenhum alimento é a solução para uma dieta saudável rotineiramente”.

A pesquisa durou 30 anos com mais de 68 mil mulheres e 41 mil homens, que preenchiam questionários dietéticos a cada quatro anos. O consumo de abacate substituindo ovos, iogurte, queijo, margarina, manteiga ou carnes processadas reduziu o risco de ataques cardíacos em 16% a 22%.

No entanto, a substituição por uma porção equivalente de nozes, azeite e outros óleos vegetais não apresentou diferença na redução de risco.Em resumo, incorporar abacate na dieta, no lugar de alimentos menos saudáveis, pode servir como aliado na redução do risco de ataque cardíaco.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES