Este hábito que se tornou popular quadruplica o risco de ter infarto

Entenda os malefícios desse consumo e como ele pode contribuir para o desenvolvimento de outros problemas de saúde

Avalie a matéria:
Imagem ilustrativa de homem infartando | Reprodução/Internet

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o uso habitual dos cigarros eletrônicos, aumenta em quase duas vezes o risco de alguém sofrer um infarto em comparação com não fumantes. Na verdade, o consumo de nicotina, seja como for, está sempre associado ao aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, entre outros problemas.

É por isso que nada é pior do que o uso dos chamados vapes em associação aos cigarros convencionais. Nesse caso, pode-se dizer que as chances de infarto quadruplicam, comparado a quem não fuma. É o que afirma a cardiologista Jaqueline Scholz, em entrevista ao Estadão. 

“O risco cardiovascular é duas vezes maior para fumantes de cigarros convencionais e também para usuários de cigarros eletrônicos. Por isso, o risco aumenta em quatro vezes quando você usa os dois”, descreve.

SEQUELAS DO TABAGISMO

O tabagismo inflama a parte de dentro dos vasos sanguíneos, interfere no colesterol, aumenta a pressão arterial e a frequência cardíaca. “É um conjunto de alterações que vai sacrificando o organismo, expondo-o a uma condição de doença e minando suas defesas, enquanto ele tenta a todo custo reverter isso”, lamenta Jaqueline. Mas nunca é tarde para parar de fumar.

As conclusões da especialista sobre o tema são corroboradas por pesquisas de longo prazo, como um estudo clássico, conduzido na Universidade de Oxford, que acompanhou 34 mil médicos fumantes e não fumantes por 40 anos. Segundo os cientistas britânicos, deixar de fumar aos 60, aos 50, aos 40 ou aos 30 anos permite, em média, ganhar três, seis, nove ou dez anos de vida, respectivamente. 

USO DO VAPE: UMA NOVIDADE COM MALEFÍCIOS 

Muito famoso entre os jovens, o vape é um produto cuja venda ainda é proibida no país. No entanto, esse cigarro elétrico é consumido por mais de três milhões de adultos brasileiros, segundo dados do Instituto Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec). A instituição explica que nos últimos seis anos, consumo desse tipo de aparelho teve um aumento de 600%.

MALEFÍCIOS DO CIGARRO ELETRÔNICO 

- O tipo de nicotina presente neles é chamada de “sal de nicotina”, uma substância que pode levar rapidamente a algum grau de dependência. Para piorar, a quantidade de nicotina que tem no eletrônico é muitas vezes superior à do cigarro convencional.

- Enquanto um maço de cigarro convencional rende até 250 tragadas, a pessoa que usa vape pode chegar a dar 1.800 puxadas em um dia. “Os supostos benefícios do cigarro eletrônico em relação aos cigarros convencionais se perdem, pois há uma exposição muito maior”, explica. Em teoria, o principal benefício é a não inalação de fumaça e exposição à combustão.

- Há uma exposição frequente ao aerossol, que tem muitas substâncias químicas, além da própria nicotina, como metais pesados e compostos que, ao serem aquecidos e combinados, podem gerar substâncias cancerígenas.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES