Exclusivo Prefeitos do Piauí alegam que repasse extra do FPM não resolve os problemas

Toninho de Caridade pontuou que líderes dos municípios piauienses marcarão presença na mobilização que está sendo orquestrada pela Confederação Nacional dos Municípios.

Avalie a matéria:

Os municípios brasileiros recebem nesta sexta-feira, 08 de setembro, o repasse extra do Fundo de Participação (FPM), no caso do Piauí, são R$ 50 milhões a serem distribuídos aos 224 municípios, sendo que o maior montante é direcionado à capital Teresina, com R$ 10,3 milhões. Por outro lado, os municípios com coeficiente menor receberão R$ 132 mil cada, totalizando 164 cidades do Piauí nesta faixa de distribuição. 

Paralelo a esse repasse, também foi creditada a parcela do primeiro decêndio do FPM de setembro, com uma queda de aproximadamente 30%, diante desse cenário, o presidente da Associação Piauiense dos Municípios (APPM), Toninho de Caridade (PSD), reverberou que os serviços de saúde e a educação devem ter prejuízos, pois impacta diretamente nessas áreas essenciais. 

Leia Mais

"O repasse referente ao 1% de setembro ainda se refere apenas em 0,25% no valor de R$ 130 mil para Prefeituras 0.6. Diante disso, No ano passado os municípios já receberam esse mesmo percentual, já estando no orçamento do município, até porque não é dinheiro novo, o que é estranho é recebermos 30% do FPM a menos do ano passado, isso afeta a educação e saúde diretamente 25% e 15% respectivamente desse recurso vai para essas áreas", cravou.

Toninho de Caridade preside a APPM (Foto: Divulgação/Reprodução)Nesse âmbito, Toninho de Caridade pontuou que líderes dos municípios piauienses marcarão presença na mobilização que está sendo orquestrada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) nos dias 03 e 04 de outubro. 

"Iremos participar sim, precisamos lutar para os que municípios possam restabelecer as ações, quem mais vai sofrer e estar sofrendo é a população , seja de forma direta ou indireta, pois afeta a economia local de todos os municípios", complementou.

Veja Também
As opiniões aqui contidas não expressam a opinião no Grupo Meio.


Tópicos
SEÇÕES