Defesa de Robinho faz novo recurso ao STF e pede liberdade do ex-atacante

Prisão de Robinho foi baseada na decisão da Corte Especial do STJ, que atendeu a um pedido da Justiça italiana para que ele cumprisse a pena no Brasil

Defesa de Robinho faz novo recurso ao STF e pede liberdade do ex-atacante | Foto: Reprodução e Laurene Santos/TV Vanguarda
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Nesta terça-feira (2), a defesa do ex-jogador Robinho entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF), solicitando a revogação de sua prisão. Os advogados buscam a autorização para que ele aguarde em liberdade a análise dos recursos contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça, que ordenou a execução imediata da pena de nove anos pela condenação por estupro na Justiça italiana.

DECISÃO É CONTESTADA: Os advogados contestam a decisão do Ministro Luiz Fux, que recusou um habeas corpus e permitiu o início do cumprimento da pena, conforme ordenado pelo STJ. Conforme a defesa, uma vez que ainda há possibilidade de recurso contra a decisão do STJ, não é apropriado ordenar a prisão do ex-jogador. "Pelo mesmo princípio da presunção da inocência, não se pode determinar a execução da pena estabelecida em sentença estrangeira se não está assentado de forma definitiva o seu cumprimento no Brasil." 

PRISÃO SERIA ILEGAL: Os advogados afirmam que a prisão é ilegal. "Para que se tenha o respeito ao devido processo legal com o cumprimento da pena imposta por país estrangeiro, é necessário assegurar a ampla defesa e o devido processo legal com o trânsito em julgado da decisão de homologação da sentença estrangeira". 

SOBRE A PRISÃO: No dia 21 de março, Robinho foi detido em Santos (SP) para começar a cumprir uma pena de 9 anos de reclusão por estupro coletivo julgado na Itália. A prisão foi possível devido a uma decisão da Corte Especial do STJ, que atendeu a um pedido da Justiça italiana para que a pena fosse cumprida no Brasil. Antes da prisão, os advogados de Robinho já haviam solicitado ao STF a suspensão da ordem, porém o pedido foi negado pelo relator, ministro Luiz Fux.

CRIME OCORREU EM 2013: O STJ decidiu por 9 votos a 2 que Robinho deveria cumprir sua pena no Brasil, após pedido da Justiça italiana. A Constituição brasileira impede a extradição de brasileiros natos para cumprimento de penas no exterior, levando a Itália a requerer o cumprimento da pena no Brasil. O STJ não revisou o caso, apenas decidiu sobre a possibilidade de prisão de Robinho no Brasil. O crime ocorreu em 2013, quando Robinho jogava pelo Milan, na Itália.

OUTROS CINCO HOMENS TAMBÉM CONDENADOS: Robinho foi condenado, juntamente com outros cinco homens, pelo estupro de uma mulher albanesa em uma boate na Itália. No momento do crime, a vítima estava inconsciente devido ao alto consumo de álcool. Os condenados afirmam que a relação foi consensual. A sentença condenatória foi proferida em 19 de janeiro de 2022, nove anos após o ocorrido.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES