Bolsa Família retira 18,5 milhões de famílias da linha de pobreza em junho

No Piauí, programa coordenado pelo ministro Wellington Dias, retirou 528.472 famílias da linha da pobreza

Avalie a matéria:
Bolsa Família foi relançado em março | Divulgação

O Ministério do Desenvolvimento Social informou nesta quarta-feira (12) que o Bolsa Família contribuiu para tirar 18,5 milhões de famílias da linha da pobreza em junho, três meses após ser relançado. Os maiores avanços foram registrados em São Paulo (2,2 milhões); Bahia (2,2 milhões); Rio de Janeiro (1,6 milhões); Pernambuco (1,4 milhões); e Minas Gerais (1,3 milhões). No Piauí, o programa coordenado pelo ministro Wellington Dias retirou 528.472 famílias da linha da pobreza.

No mês de março, o governo federal relançou o Bolsa Família, com um valor mínimo de R$ 600 e um adicional de R$ 150 para crianças de até seis anos. Além disso, foram estabelecidos benefícios variáveis, como o auxílio de R$ 50 para gestantes, crianças e adolescentes de até 18 anos. O governo também reintroduziu as condicionantes, ou seja, requisitos que devem ser cumpridos para garantir a continuidade dos repasses do auxílio pelo governo federal. Em sua nova versão o programa também garante que a melhora da renda familiar não interrompa o repasse do benefício, desde que cada integrante receba entre R$ 218 e R$660. As famílias deixam a faixa da pobreza quando começam a receber mais de R$ 218 per capita.

“O objetivo é tirar novamente o Brasil do mapa da fome e da insegurança alimentar, mas também reduzir a pobreza. Somente agora, no novo Bolsa Família, nós já comemoramos 18,5 milhões de famílias, 43,5 milhões de pessoas que elevaram a renda este ano e que estão fora da pobreza”, destacou o ministro Wellington Dias.

Nesta quarta-feira (12.07), o relatório "O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo (SOFI)" da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), mostra uma piora dos indicadores de fome e insegurança alimentar no Brasil nos últimos três anos.

Leia Mais

A gestão anterior tinha substituído o benefício pelo Auxílio Brasil que, entre outros pontos, retirou as condicionantes e mudou critérios de repasse. O benefício foi alvo de auditorias do Tribunal de Contas da União (TCU), que encontrou algumas irregularidades.

Confira a lista de famílias que deixaram a linha de pobreza em junho, por Estado:

AC: 101.410

AL: 479.063

AM: 549.979

AP: 108.207

BA: 2.260.504

CE: 1.298.677

AC: 101.410

AL: 479.063

AM: 549.979

AP: 108.207

BA: 2.260.504

CE: 1.298.677

DF: 148.200

ES: 263.510

GO 438.806 :

MA: 1.056.212

MG: 1.387.793

MS: 176.094

MT : 224.675

PA: 1.174.165

PI: 528.472

PR: 512.855

RJ: 1.632.513

RN: 442.428

RO: 113.180

RR: 57.046

RS: 537.609

SC: 190.622

SE: 370.868

SP: 2.254.736

TO: 133.275

BRASIL: 18.522.115

Calendário do Bolsa Família neste mês de julho; veja datas de pagamento

O pagamento do programa Bolsa Família referente ao mês de julho será realizado a partir do dia 18. O cronograma de pagamento é escalonado, começando pelos beneficiários com Número de Identificação Social (NIS) terminando em 1 e encerrando no dia 31 de julho.

Neste mês, os beneficiários do programa receberão um adicional de R$ 50, destinado a gestantes e famílias com crianças e adolescentes de 7 a 18 anos. Além disso, as famílias chefiadas por mulheres receberão um valor adicional de R$ 150 por criança de zero a 6 anos de idade.

O valor mínimo do Bolsa Família é de R$ 600, porém, com a inclusão do novo adicional, o valor médio do benefício aumenta para R$ 705,40, o maior já registrado na história do programa. Conforme o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, neste mês, o programa de transferência de renda do governo federal beneficiará 21,2 milhões de famílias, resultando em um investimento de R$ 14,97 bilhões.

A partir de março, foi iniciado o pagamento do adicional de R$ 150, após o governo realizar uma revisão minuciosa no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com o objetivo de eliminar possíveis fraudes. De acordo com o balanço mais recente divulgado em abril, aproximadamente 2,7 milhões de pessoas com irregularidades no cadastro tiveram seu benefício suspenso.  

Em junho, uma nova adição ao Bolsa Família é a implementação da regra de proteção. Com essa nova regra, mesmo que uma família consiga emprego e melhore sua renda, ela poderá permanecer no programa por até dois anos, desde que cada membro da família receba uma quantia equivalente a até meio salário mínimo. Nesse cenário, a família passará a receber 50% do valor do benefício ao qual teria direito.    



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES