Corpo de Ricardo Boechat é cremado em cemitério de São Paulo

A cerimônia privada foi acompanhada por familiares e amigos de Boechat e durou 30 minutos.

Avalie a matéria:
|

 A cerimônia de cremação do corpo do jornalista Ricardo Boechat terminou por volta das 16h30 desta terça-feira (12) no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. A cerimônia privada foi acompanhada por familiares e amigos de Boechat e durou 30 minutos. 

 O corpo foi velado entre a noite desta segunda (11) e a manhã desta terça-feira (12), no Museu da Imagem e do Som (MIS), nos Jardins, em São Paulo. Boechat, de 66 anos, morreu no início da tarde desta segunda (11) após o helicóptero em que estava cair na Rodovia Anhanguera. 

: Reprodução TV Globo 

O velório começou às 22h de segunda com uma cerimônia com os familiares. Depois, no início da madrugada, foi aberto ao público. Foram ao MIS, entre outros, o governador de São Paulo, João Doria, e o presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, João Carlos Saad. 

 Às 14h10, o corpo deixou o MIS e seguiu para a cerimônia de cremação. O corpo foi seguido por um cortejo de taxistas que fizeram uma última homenagem ao jornalista e apresentador. 

 O corpo do piloto de helicóptero Ronaldo Quatrucci, que também morreu na queda do helicóptero, foi enterrado na tarde desta terça-feira (12), no Cemitério São Paulo, em Pinheiros, na Zona Oeste da cidade. O enterro ocorreu por volta das 16h20 . A cerimônia foi fechada para familiares e amigos. 

 A viúva de Boechat, Veruska Boechat, afirmou durante o velório que ele foi o ateu que mais praticava o amor ao próximo. 

 “Meu marido era o ateu que mais praticava o mandamento mais importante de todos, que era o amor ao próximo, porque sempre se preocupou com todo mundo, sempre teve coragem. E é muito difícil fazer o que ele sempre tentou fazer. Então, com erros e acertos, como qualquer pessoa, mas tenho muito orgulho dele”, disse. 

A mãe do jornalista Ricardo Boechat, Mercedez Boechat deu entrevista a imprensa na manhã desta terça-feira (12) e muito emocionada falou do filho. 

"Acho que ele ficaria assombrado, pela quantidade de gente que demosntrou carinho por ele porque ele não fazia as coisas solicitando recompensa, eu fiquei de boca aberta pelo reconhecimento das pessoas, adorei o caixão com as placas de táxis em cima, aquilo foi maravilhoso, eu disse agora, agora sim é um caixão que ele quer. Eu tenho muito orgulho do homem que foi meu filho." disse a mãe do jornalista Ricardo Boechat em entrevista a imprensa 

Jales Valquer / Framephoto / Estadão Conteúdo 

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES