Desenrola Brasil tem último mês de renegociação de dívida, com desconto de até 90%

Até o dia 31 de dezembro, os consumidores podem acertar as contas atrasadas, além de parcelar em até 60 meses

Avalie a matéria:
Desenrola Brasil tem último mês de renegociação de dívida, com desconto de até 90% | Pixabay

O programa Desenrola Brasil encerra sua última fase de negociação de dívidas com descontos de até 90% e opções de parcelamento. Os consumidores interessados em regularizar contas em atraso têm até o dia 31 de dezembro para aproveitar as condições oferecidas, possibilitando a quitação das pendências, a limpeza do nome e a recuperação da capacidade de crédito.

De acordo com informações do Ministério da Fazenda, desde o início da primeira fase, em 17 de julho, aproximadamente 3,5 milhões de brasileiros realizaram renegociações, totalizando mais de R$ 27 bilhões em valores negociados.

A reestruturação das dívidas ocorre por meio do portal www.desenrola.gov.br. No entanto, uma colaboração com instituições bancárias, tanto privadas quanto públicas, como Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, disponibiliza assistência presencial nas agências bancárias para apoiar os consumidores durante o processo.

O programa possibilita a renegociação sem a necessidade de entrada imediata, permitindo o parcelamento em até 60 meses, sendo que a primeira parcela só será devida em 2024. A primeira fase teve início em 17 de julho, abrangendo a Faixa 2, onde as negociações foram conduzidas diretamente pelos bancos credores com indivíduos cuja renda mensal é de até R$ 20 mil, e cujas dívidas bancárias foram registradas em cadastros de inadimplentes até 31 de dezembro de 2022.

Conforme a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), no período de julho a novembro, foram reestruturados financeiramente aproximadamente R$ 23,6 bilhões. O total de contratos de dívidas renegociados atingiu 3,24 milhões, beneficiando cerca de 2,6 milhões de clientes bancários. Notavelmente, aproximadamente 6 milhões de registros de clientes com dívidas bancárias de até R$ 100 foram retirados do status de inadimplência.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES