BATEU SAUDADE? Saiba quanto custavam itens da cesta básica nos anos 90

Um vídeo popular do Canal 90 no YouTube trouxe à tona essas memórias dos anos 90, usando propagandas antigas de TV para ilustrar os preços da época.

Avalie a matéria:
Um vídeo popular do Canal 90 no YouTube trouxe à tona essas memórias dos anos 90, usando propagandas antigas de TV para ilustrar os preços da época. | Reprodução

Nos anos 90, os preços dos alimentos no Brasil eram significativamente mais baixos do que hoje. Naquela época, o litro de leite podia ser comprado por apenas R$0,69 e o quilo da carne por R$1,05. Atualmente, esses valores são quase inimagináveis, com o preço do leite raramente ficando abaixo de R$4. Mesmo com a recente queda da inflação dos alimentos medida pelo IPCA-15, que caiu para 0,21% no mês passado, a alta acumulada de 3,77% em 12 meses indica que os preços nos supermercados continuam a subir.

Um vídeo popular do Canal 90 no YouTube trouxe à tona essas memórias dos anos 90, usando propagandas antigas de TV para ilustrar os preços da época. Por exemplo, o pão francês, que hoje é vendido por peso e pode custar até R$1 por unidade, custava apenas R$0,05. O pacote de café de 500 gramas era vendido por R$2,20. Além disso, o quilo do frango e da carne também tinha valores bem mais baixos, com o quilo do contra-filé a R$3,96.

Leia Mais

Preço dos produtos nos anos 90

  • Arroz pacote 5 kg: R$ 2,59
  • Azeite de oliva: R$ 2,39
  • Cerveja lata: R$ 0,32
  • Refrigerante de marcas famosas: R$ 1,42
  • Vinho de mesa: R$ 3,99
  • Chocolate da Nestlé: R$ 1,00

Desde 1994 até 2019, o real perdeu 83,25% do seu poder aquisitivo, conforme pesquisa do matemático financeiro José Dutra Vieira Sobrinho, baseada numa inflação acumulada de 496,88% nesse período. Em 1994, o salário mínimo era de R$64, enquanto em 1999, o último ano das ofertas mencionadas no vídeo, era de R$136.

INFLAÇÃO EM ABRIL DE 2024

Para abril de 2024, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que antecipa a inflação oficial do mês, ficou em 0,21%. Esta taxa foi inferior tanto ao mês anterior (0,36%) quanto ao mesmo período do ano passado (0,57%), conforme divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No acumulado do ano, o IPCA-15 registra 1,67%. Em 12 meses, a inflação é de 3,77%, uma leve queda em relação aos 4,14% registrados até a prévia de março. A principal influência para a queda na taxa de abril foi o setor de transportes, com uma deflação de 0,49%, especialmente devido à redução nos preços das passagens aéreas, gás veicular, óleo diesel e gasolina.

PREÇOS DE ALIMENTOS E BEBIDAS

Por outro lado, os preços de alimentos e bebidas subiram 0,61% no mesmo período, impedindo uma queda maior na inflação. Produtos como tomate, alho, cebola, frutas e leite longa vida contribuíram para essa alta, enquanto a batata-inglesa e as carnes tiveram redução de preços, ajudando a conter a inflação no setor alimentício.

Outros grupos de despesas registraram as seguintes taxas de inflação: saúde e cuidados pessoais (0,78%), vestuário (0,41%), despesas pessoais (0,40%), comunicação (0,17%), habitação (0,07%), educação (0,05%) e artigos de residência (0,03%). Os preços que serviram de base para o cálculo do IPCA-15 de abril foram coletados entre 15 de março e 15 de abril deste ano.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES