Energia solar em telhados e pequenos terrenos aumentou 37,5%

Número de empregos relacionados ao setor de energia solar saltou de 440 mil em janeiro para 600 mil em julho de 2023.

Avalie a matéria:
Energia solar aumentou quantidade de empregos | José Cruz / Agência Brasil

No primeiro semestre de 2023, a energia solar no Brasil apresentou um crescimento expressivo de 37,5% em sua potência instalada, abrangendo residências, comércios, indústrias, produtores rurais e prédios públicos. Os dados são provenientes do mapeamento realizado pela Bonö Energia, empresa de engenharia e projetos de geração de energia solar para o mercado corporativo, utilizando informações oficiais da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Esse notável avanço culminou em um total de 22 gigawatts de potência no período, em contraste com os 16 gigawatts registrados em janeiro do mesmo ano. Um dos principais fatores desse crescimento foi o aumento na geração de empregos, que alcançou um impressionante aumento de 36,6%, com o número de empregos relacionados ao setor saltando de 440 mil em janeiro para 600 mil em julho de 2023.

Além disso, o setor de energia solar também atraiu um considerável aumento de 30% nos investimentos. Os dados revelam que os investimentos saltaram de R$ 85,5 bilhões em janeiro de 2023 para R$ 111,2 bilhões em junho do mesmo ano.

Leia Mais

Atualmente, a energia solar gerada de forma independente atende mais de 2,6 milhões de unidades consumidoras em todo o país, distribuídas por mais de 5,5 mil municípios brasileiros, alcançando todos os estados do país. O CEO da Bonö Energia, Vitor Ferrari, ressalta que esse cenário é um claro indicativo do crescimento contínuo do setor, prevendo que essa tendência se manterá até o fim do ano. Ele enfatiza que o Brasil possui um dos melhores recursos solares do mundo e que desde 2012 tem atraído investimentos cada vez mais expressivos.

A Bonö Energia, com sete anos de atuação no país, já acumula vasta experiência, somando mais de 1.200 projetos realizados em território nacional, com um total de mais de 200 megawatts (MW) comercializados para empresas e indústrias. Além disso, os empreendimentos desenvolvidos pela empresa contribuíram para uma notável redução de mais de 83 mil toneladas de CO2 na atmosfera, equivalente a mais de 500 mil árvores replantadas.

Fundada em 2016 como Bonö Fotovoltaico, a empresa evoluiu e se consolidou como uma das principais atuantes do setor fotovoltaico no Brasil, expandindo suas atividades para diversos segmentos de energia solar, incluindo usinas solares, eletromobilidade e sistemas de armazenamento de energia. Com planos ambiciosos, a meta para 2023 é alcançar a marca de 300MW.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES