Mega da Virada fatal: relembre ganhadores que foram torturados, mortos ou vítimas de golpe

Por trás da promessa de uma fortuna, histórias trágicas e surpreendentes alertam para os riscos associados a esses prêmios vultosos

Avalie a matéria:
Ganhadores mortos ou vítimas de golpe | Reprodução/Globo

A busca pelo prêmio milionário na Mega-Sena, especialmente na aguardada Mega da Virada, é um sonho compartilhado por muitos em busca de uma vida melhor. No entanto, por trás da promessa de uma fortuna, histórias trágicas e surpreendentes alertam para os riscos associados a esses prêmios vultosos.

Neste ano, a Caixa Econômica Federal (CEF) sorteará um recorde de R$ 570 milhões neste domingo (31), estabelecendo-se como o maior prêmio da história da loteria brasileira. Contudo, é importante ressaltar que, junto com o bônus do prêmio, vem o ônus, evidenciado por situações perigosas relacionadas a grandes ganhadores.

Torturado e morto

Jonas Lucas Alves Dias, ganhou prêmio com aposta simples, de 6 números, em 2020 — Foto: Reprodução O trágico caso de Jonas Lucas Alves Dias, de 55 anos, exemplifica os perigos dessa fortuna. Em 2020, ele ganhou R$ 47,1 milhões, mas em setembro de 2022, seu corpo foi encontrado com sinais de tortura, indicando um crime premeditado visando extorquir o milionário. A investigação revelou tentativas de movimentação em suas contas bancárias, incluindo um frustrado saque de R$ 3 milhões.

Morte misteriosa

Outro caso, embora não violento, é igualmente marcante. Um homem foi encontrado morto em um hotel de Curitiba neste ano, portando um bilhete premiado da Mega-Sena no valor de R$ 398 mil. Apesar de ser considerada uma morte natural, a trágica descoberta levanta questionamentos sobre as circunstâncias.

“Viúva da Mega-Sena”

Adriane com Renné Senna — Foto: Reprodução Milionário da Mega no Ceará

Ganhador da Mega-Sena, Miguel Ferreira de Oliveira foi morto no dia 4 de fevereiro de 2018 — Foto: Reprodução Morte encomendada pelo pai

Francisco Serafim — Foto: Otmar de Oliveira/A Gazeta MT Essas situações trágicas não são novidade. Renné Senna, vencedor de R$ 51,9 milhões em 2005, foi assassinado em 2007, e sua viúva foi condenada a 20 anos de prisão. No Ceará, Miguel Ferreira de Oliveira, conhecido como o milionário da Mega-Sena, foi morto em 2018 após ganhar R$ 39 milhões em 2011. Outro caso notório envolveu Fábio Leão Barros, premiado com R$ 28 milhões em 2006, e seu pai, acusado de planejar sua morte.

Golpe

Fredolino José Pereira — Foto: Reprodução Em 2022, Fredolino José Pereira, de 71 anos, ganhador da Mega-Sena em 2018, foi vítima de golpistas que levaram mais de R$ 10 milhões. O ex-sócio e a namorada tornaram-se réus por apropriação indébita e lavagem de dinheiro.

Essas narrativas, embora chocantes, reforçam a importância de precauções e vigilância quando se trata de enormes prêmios de loteria. A ilusão de uma vida despreocupada pode, infelizmente, se transformar em uma trama trágica e perigosa.

Para mais informações, acesse MeioNorte.com

Leia Mais


Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES