Parque Tecnológico do Piauí é apresentado em rodada nacional de negócios

A apresentação do Parque Tecnológico do Piauí ficou a cargo do Superintendente de Comunicação da UFPI, Fenelon Rocha.

Parque Tecnológico do Piauí é apresentado em rodada de negócios | Reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

O Parque Tecnológico do Piauí, iniciativa que tem à frente a Universidade Federal do Piauí (UFPI), foi tema de sessão na 7ª Connected Smart Cities & Mobility, evento que reúne potenciais parceiros em soluções no campo das novas tecnologias e cidades inteligentes. A participação do ParqueTec do Piauí foi uma oportunidade para dar dimensão nacional a uma iniciativa que é vista como estratégica para o desenvolvimento no estado de uma economia com base tecnológica.

A apresentação do Parque Tecnológico do Piauíficou a cargo do Superintendente de Comunicação da UFPI, Fenelon Rocha. “Temos que aproveitar essas oportunidades para que o Parque seja conhecido e gere uma aproximação com potenciais parceiros”, diz Fenelon. “É também uma forma de vender as oportunidades do próprio estado do Piauí”, afirma. Para ele, a participação em eventos 

Fenelon lembra que o Parque Tecnológico do Piauí surge a partir da preocupação da UFPI de unir diversas vozes da sociedade, que há mais de cinco anos debatiam o tema. “A UFPI faz a sistematização dessas vozes e formaliza o projeto. Com um detalhe: como diz o reitor Gildásio Guedes, é um projeto que a UFPI coloca nas mãos da sociedade. O Parque é do Piauí”, ressalta o superintendente de Comunicação.

Um Parque para transformar

O projeto surgiu a partir de uma série de discussões envolvendo a academia, as empresas, o governo e o terceiro setor. Além disso, a Universidade tem um papel central já que os parques tecnológicos surgem a partir do conhecimento e da inovação, que se soma ao empreendedorismo e às estratégias locais e regionais de desenvolvimento. “É uma ação transformadora, com impacto na economia, no emprego e na realidade social”, acentua Fenelon.

Além disso, a UFPI disponibilizou áreas próprias para consolidação da ideia. Inicialmente, o Parque Tecnológico passa a ter espaço dentro do próprio Campus da Ininga e, depois, contará com a chamada “Cidade Tecnológica”, em terreno da União localizada na nova avenida Ulisses Marques, entre o Colégio Técnico da UFPI e a avenida Presidente Kennedy. O local terá espaços para pesquisa, incubação de empresas e novos empreendimentos, além de ampla área para vivência comunitária.

Parque Tecnológico é uma das apostas da UFPI (Foto: Reprodução)

Um dos objetivos é aproveitar setores onde o estado já tem referência para atração de novos negócios. Aí se destacam a saúde, o agronegócio, a educação e a geração de energia. A expectativa é que, em médio prazo, o Parque Tecnológico da UFPI possa representar em torno de 4% a 5% do PIB do estado.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES