Projeto Carbono Positivo ganha força e torna agronegócio mais sustentável

Piauí avança e se prepara para mais uma etapa do trabalho rumo a agricultura cada vez mais sustentável com a efetivação do projeto Cerrado Carbono Positivo.

Avalie a matéria:
Projeto Carbono verde | Divulgação

Após o sucesso na utilização de biodefensivos, com pesquisas realizadas nas fazendas do cerrado, o Piauí avança e se prepara para mais uma etapa do trabalho rumo a agricultura cada vez mais sustentável com a efetivação do projeto Cerrado Carbono Positivo. O objetivo central é impulsionar a agricultura sustentável na região. A pesquisa, que já contava com o apoio da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), agora recebe também o suporte da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Neste projeto, diversos estudos estão sendo conduzidos para determinar a quantidade adequada de calcário para corrigir a acidez do solo, bem como as melhores práticas de adubação com fósforo e potássio. Além disso, uma nova frente de pesquisa foi adicionada: a redução da emissão de gases de efeito estufa na produção de grãos, como soja e milho.

Esses esforços têm como objetivo fundamental promover a sustentabilidade e preservação dos ecossistemas na região. O Piauí foi incluído nesse projeto em 2021, com a fazenda Emaflor, localizada no município de Baixa Grande do Ribeiro, desempenhando um papel central. Agora, a parceria com a UFPI ampliará ainda mais as pesquisas. Recentemente, a vice-reitora da UTFPR, Tangriani Simioni Assmann, se reuniu com Piotre Laginski, vice-diretor administrativo da Aprosoja Piauí, e o reitor da UFPI, Gildásio Guedes, para discutir essa colaboração. 

A fazenda de Laginski, com uma área de cerca de 100 hectares na região de Baixa Grande do Ribeiro, será o local de execução das pesquisas. Além dos professores envolvidos nas pesquisas, estudantes de graduação e pós-graduação de ambas as universidades também fazem parte desse projeto de pesquisa, ensino e extensão.

Os resultados das pesquisas já permitiram uma redução no uso de fertilizantes, como fósforo, nitrogênio e potássio, contribuindo para uma agricultura mais eficiente e sustentável. Além disso, o projeto tem como objetivo estimular a integração da lavoura com a pecuária, o que desempenha um papel significativo na busca por propriedades de baixo carbono ou, idealmente, propriedades de balanço positivo de carbono no futuro. A iniciativa não apenas beneficia os produtores com boas remunerações, mas também tem um impacto ambiental positivo para o estado do Piauí.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES