Estamos com o povo de Marrocos, diz papa após tremor matar mais de 2.000

Na noite de sexta-feira (8), um sismo de magnitude 6.8 deixou pelo menos 2.012 mortos e 2.059 feridos

Avalie a matéria:
Estamos com o povo de Marrocos, diz papa após tremor matar mais de 2.000 | Foto: Reprodução/Vatican News

No domingo, 10 de setembro, o Papa Francisco renovou seus votos de solidariedade aos cidadãos marroquinos, expressando suas orações e apoio às vítimas do terremoto. Diante de uma multidão reunida na Praça de São Pedro, o líder católico dirigiu palavras de conforto e apoio à nação marroquina, reiterando seu compromisso com o bem-estar das pessoas afetadas pelo desastre natural.

"Rezo pelos feridos, pelos que perderam suas vidas e por seus parentes", disse o pontífice. "Estamos ao lado do povo do Marrocos." Francisco também agradeceu aos socorristas por seus esforços para "aliviar o sofrimento das pessoas".

Na noite de sexta-feira (8), um sismo de magnitude 6.8 deixou pelo menos 2.012 mortos e 2.059 feridos, segundo a contagem mais recente do Ministério do Interior, o que faz deste o terremoto mais letal no país desde 1960, quando um tremor provocou a morte de 12 mil pessoas.

O terremoto teve seu epicentro em Ighil, situado nas montanhas do Alto Atlas, a aproximadamente 70 quilômetros a sudoeste de Marrakech. As autoridades informaram que a maioria das vítimas foi registrada nas províncias e municípios de Al Hauz, Marrakech, Uarzazat, Azilal, Chichaoua e Tarudant. 

O terremoto, que arruinou edifícios tradicionais no Alto Atlas e derrubou casas de barro em vilas, não deixou ileso um dos locais mais importantes para a história da região: uma mesquita de terra e pedra construída por uma dinastia medieval que conquistou o norte da África e a Espanha.

Segundo relatos da mídia local, ocorreu o desabamento de seções da Mesquita de Tinmel. Fotografias circulam nas redes sociais, mas a agência de notícias Reuters não pôde confirmar sua autenticidade imediatamente. Essas imagens mostram paredes desmoronadas, uma torre em estado crítico e montanhas de escombros. 

O Ministério da Cultura marroquino afirmou à Reuters que vai disponibilizar orçamento para restaurar a construção, sem dar detalhes. A mesquita do século 12 foi construída onde a dinastia Almóada estabeleceu sua primeira capital, em um vale remoto do Atlas. Posteriormente, o grupo conquistaria Marrakech, proclamaria seu líder como califa e avançaria sobre a região.

A Unesco confirmou estar ciente dos relatos sobre a destruição do local, mas ainda estava aguardando o envio de uma equipe para avaliar os danos. Vale ressaltar que a Mesquita de Tinmel era uma candidata à inclusão na lista de Patrimônios Mundiais da organização das Nações Unidas.

O terremoto também causou danos significativos à cidade antiga de Marrakech, que é um Patrimônio Mundial da Unesco. Nessa área, uma torre de uma mesquita desabou, partes das muralhas históricas da cidade ruíram e várias casas tradicionais foram afetadas pelos tremores.

(Com informações da Folhapress)

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES