Governo propõe reajuste de até 31% para os professores

Os aumentos propostos variam de 13,3% a 31%, mas só começarão a ser aplicados a partir de 2025.

Avalie a matéria:
Professores de universidades e escolas federais ainda estão em greve | Rovena Rosa/Agência Brasil
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Os professores das universidades e colégios federais estão em greve há um mês, e finalmente, uma proposta de aumento salarial foi apresentada a eles. De acordo com essa oferta do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI)os aumentos propostos variam de 13,3% a 31%, mas só começarão a ser aplicados a partir de 2025. Esta proposta representa uma mudança significativa em relação à anterior, que previa reajuste zero em 2024.

Como será o reajuste

O aumento salarial proposto será diferenciado com base na categoria dos professores. Aqueles que recebem salários mais altos terão um aumento mínimo de 13,3%, enquanto os que ganham menos poderão receber até 31% de aumento. Essa proposta é considerada a última oferta do MGI aos docentes do ensino superior, segundo o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

Reajuste linear

Além disso, o MGI destacou que, com o reajuste linear de 9% concedido ao funcionalismo federal em 2023, o aumento total acumulado ao longo de quatro anos ficaria entre 23% e 43%. Essa perspectiva representa uma melhoria em relação à proposta anterior, que totalizaria um aumento de 21,5% ao longo de quatro anos.

Negociações

Diante dessa proposta, o Andes planeja realizar novas rodadas de assembleias para decidir a resposta a ser dada até o próximo dia 27. Inicialmente, os professores esperavam uma contraproposta que atendesse à sua reivindicação de um aumento salarial de 22,71%, com pagamentos ainda neste ano.

Recomposição

Além do aumento salarial, os professores também buscam a recomposição do orçamento das universidades federais e a revogação de normas que prejudicam a carreira docente, implementadas no governo anterior. Na terça-feira (21), está agendada uma reunião entre o MGI e os técnicos administrativos das instituições de ensino superior, que também estão em greve desde março, para apresentação de uma proposta. (Com informações da Agência Brasil)



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES