Brasileiro repatriado tenta trazer 3 filhos após morte de ex-mulher em Gaza

Ele relata que tem buscado solicitar ao governo brasileiro a transferência das crianças para um local seguro

Avalie a matéria:
Brasileiro repatriado tenta trazer 3 filhos após morte da mãe | Reprodução

Ramadan Hasan Abdou, um brasileiro-palestino, jamais imaginou que enfrentaria um drama de proporções tão impactantes. No mês passado, foi resgatado do território de Gaza pelo governo, mas deixou para trás a ex-mulher e três filhos que não possuíam cidadania brasileira.

Segundo Abdou, há uma semana, o edifício onde sua ex-mulher e seus três filhos estavam foi alvo de bombardeios no sul de Gaza. Ela e todos os seus familiares perderam a vida, e os corpos permanecem sob os escombros, refletindo a dura realidade para milhares de vítimas. Ele viajou com sua atual esposa e uma filha. Se sua vida já havia sido abalada pelo conflito, os eventos recentes o deixaram completamente desorientado.

Contudo, os filhos de Abdou não estavam no prédio naquele momento e conseguiram escapar. Atualmente, vivem nas ruas de Raffa, cidade situada na fronteira com o Egito, junto de suas tias, irmãs de Abdou. "Não consigo dormir e estou preocupado com meus filhos e irmãs. Khaled tem 5 anos de idade; Inshirah, 7, e Ala, 6. Não sobrou ninguém para eles lá. Meus filhos estão morrendo de frio", lamentou.

Leia Mais

"A guerra se intensificou, e a mãe foi morta. Agora, apelo a todas as agências governamentais, incluindo o presidente e o Itamaraty, para que trabalhem numa terceira lista dos que estão retidos lá", pediu. 

Abdou relata que tem buscado solicitar ao governo brasileiro a transferência das crianças para um local seguro. Atualmente, o Itamaraty mantém quatro residências em Raffa, que abrigam 41 pessoas registradas em uma segunda lista de evacuação.

Contudo, de acordo com ele, a chancelaria informou que não poderia abrigar as crianças e suas tias, pois não fazem parte da lista já entregue aos governos de Israel e Egito para análise. Sem a aprovação desses dois governos, a evacuação não é viável. "Eles não têm nenhum abraço. Só o meu", completou, contando como tem sido difícil a comunicação.

O aumento dos ataques de Israel após o término da trégua provocou apreensão entre os brasileiros previamente evacuados de Gaza, que agora temem pela segurança de seus familiares remanescentes na região.

No momento, mais de cem pessoas continuam buscando sair do conflito com o auxílio do Brasil. Ao receber o primeiro grupo de repatriados, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assegurou que o país não abandonaria nenhum de seus cidadãos no conflito.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES