Chile: diminui esperança de achar sobreviventes de acidente aéreo

Os corpos de quatro vítimas resgatados foram levados para Santiago

Avalie a matéria:
|

Diminuiu a esperança de encontrar sobreviventes no acidente com o avião militar chileno que caiu na sexta-feira no arquipélago de Juan Fernández com 21 pessoas a bordo. Os corpos de quatro vítimas já encontrados foram levados para Santiago. "Nunca perdemos a fé, mas não quero criar falsas esperanças", afirmou o presidente chileno, Sebastián Piñera, em um claro reconhecimento de desalento que começou a imperar, embora se mantenham os esforços para localizar o avião.

A aeronave, um CASA C-212, caiu às 17h48 após duas tentativas de aterrissagem em meio a fortes ventos na ilha Robinson Crusoé, a principal do arquipélago, a 670 km da costa chilena. O avião da Força Aérea do Chile (FACH), pilotado pela tenente Carolina Fernández, de 26 anos e considerada uma experiente piloto, não tinha condições de retornar ao continente após um voo de três horas, fato que obrigou a tripulação a tentar descer no arquipelago, explicou a instituição.

No voo estava Felipe Camiroaga, um popular apresentador da TV chilena e o empresário e filantropo Felipe Cubillos, um dos incentivadores da organização criada para apoiar os trabalhos de reconstrução após o terremoto de fevereiro de 2010. Uma equipe da rede estatal de TV TVN e integrantes da citada organização de Cubillos, além de funcionários do Conselho da Cultura e da FACH, também estavam no voo.

Um destes últimos, o cabo Flavio Oliva, é árbitro assistente da segunda divisão do futebol profissional chileno, contou Pablo Pozo, do Comitê de Árbitros. Segundo ele, Oliva estava designado a apitar o jogo deste domingo entre Deportes Copiapó e Deportes Antofagasta, mas acabou liberado da partida por causa do compromisso com a missão da FACH. Felipe Cubillos, seus colaboradores e a equipe de TV iriam realizar atividades relacionadas à reconstrução do povoado da ilha, que foi duramente atingida pelo tsunami que seguiu o terremoto de 2010.

Buscas

Logo após a tragédia foi iniciada uma operação de busca com aviões Hércules C-130, Twin Otter e CASA C-212 da FACH e da Marinha, mais uma aeronave do Exército, duas fragatas e outra embarcação da Marinha, ambas com helicópteros. Navios mercantes que estão na região e pesqueiros também foram avisados e estão ajudando nas tarefas de busca. A operação conta com a participação de mergulhadores e equipamentos de alta tecnologia para detecção e busca. Até agora foram localizados quatro corpos (dois de mulheres e dois de homens), um pela Marinha e três por barcos pesqueiros da ilha.

Na tarde deste sábado, um Hércules C-130 que transportava material e equipes de apoio à operação precisou retornar a Santiago por causa de um problema no sistema hidráulico que o impediu de aterrissar na pequena pista da ilha. As operações estão sendo coordenadas na região pelo ministro da Defesa, Andrés Allamand, que é cunhado do empresário Felipe Cubillos e pelo comandante-em-chefe da FACH, Jorge Rojas.

Em Santiago, o general da FACH Ricardo Gutiérrez confirmou que durante a tarde um avião Twin Otter decolou com os quatro corpos resgatados. Assim que a aeronave aterrissar na base militar da capital chilena, os corpos serão entregues ao Departamento Médico Legal, que deve fazer os exames para identificação e a autópsia.

Condolências

Após uma reunião sobre a crise na educação, o presidente chileno Sebastián Piñera foi até os estúdios da TVN, onde considerou "extraordinariamente grave" o acidente que, na sua opinião, "toca o coração e a alma de todos os chilenos". Piñera ofereceu seu carinho aos familiares das vítimas. O acidente despertou manifestações de solidariedade e condolências de diversas personalidades do mundo todo, entre eles o papa Bento XVI, que enviou um telegrama ao arcebispo de Santiago, Ricardo Ezzati, para transmitir seus pêsames pelas vítimas.

O chanceler argentino, Héctor Timerman, que assiste em Valparaíso a um encontro comemorativo da Carta Democrática da Organização dos Estados Americanos, manifestou "toda a solidariedade argentina pelo acidente aéreo que enluta o país". Por sua vez, o presidente peruano, Ollanta Humala, enviou uma carta a seu colega do Chile na qual manifestou "a solidariedade do Governo e do povo peruano com o país neste momento de dor e tristeza", informou comunicado da Chancelaria em Lima.

Também se manifestou o jornalista e escritor peruano Jaime Bayly, amigo pessoal de Felipe Camiroaga, que escreveu na rede social Facebook: "Te devo tantos risos, Felipe. Que os deuses e os falcões te levem a voar com eles".



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES