Espanha, Irlanda e Noruega oficializam Palestina como Estado e dividem a UE

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, foi acusado de ser “cúmplice de incitação ao assassinato do povo judeu” pelo ministro das Relações Exteriores de Israel

Avalie a matéria:
Primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez (à esquerda) e dois palestinos segurando a bandeira do país (à direita) | Montagem/MeioNews

Nesta terça-feira (28), Espanha, Irlanda e Noruega oficializaram o reconhecimento da Palestina como Estado, decisão que provocou indignação de Israel. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, foi acusado de ser "cúmplice de incitação ao assassinato do povo judeu" pelo ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz. Sánchez defendeu que o reconhecimento é uma "necessidade para alcançar a paz" entre israelenses e palestinos e uma "questão de justiça histórica" para os palestinos.

"rejeição frontal" ao Hamas

Sánchez destacou que a decisão não é contra Israel, enfatizando que busca manter uma relação amigável com o país. Ele também rejeitou qualquer associação com o Hamas, afirmando que a decisão reflete uma "rejeição frontal" ao grupo. Em uma publicação na rede social X, Katz reiterou sua acusação a Sánchez e criticou a presença de Yolanda Díaz no governo espanhol, que recentemente afirmou que "a Palestina será livre do rio até o mar".

Apoio de outros países

O anúncio do reconhecimento foi coordenado na semana passada por Sánchez e seus homólogos da Irlanda e Noruega. Os três países esperam que esta medida simbólica estimule outros Estados a seguirem o mesmo caminho. A Noruega entregou uma nota verbal ao primeiro-ministro palestino, Mohamed Mustafa, para informar que a decisão entraria em vigor hoje, enquanto a Espanha e a Irlanda realizaram reuniões formais para oficializar o decreto.

Manifestação que defende o reconhecimento da Palestina como Estado - Foto: Reprodução

divisão na união europeia

O reconhecimento da Palestina como Estado aumenta as divisões dentro da União Europeia. Enquanto alguns países como a França e a Alemanha consideram que não é o momento apropriado para tal medida, Espanha, Irlanda e Noruega esperam que sua iniciativa encoraje mais países a reconhecerem a Palestina. Até agora, 145 dos 193 Estados-membros da ONU reconhecem a Palestina como Estado.

Para mais informações, acesse meionews.com

Leia Mais


Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES