Lula e Governadores, a busca pelo pacto federativo - Por José Osmando

Presidente entende que não será possível governar o Brasil e retirá-lo dessa tragédia de gestão, se não for pela união de todos.

Avalie a matéria:
Presidente Lula propõe união com todos os governadores | div

Por José Osmando de Araújo 

O presidente Lula chamou todos os governadores brasileiros para uma conversa nesta sexta-feira, em Brasília, durante a qual pretende consolidar seu desejo de campanha, de fixar no país um novo pacto federativo, centrando nos governantes estaduais e nos prefeitos as inciativas voltadas para a realização de obras e as políticas de atendimento às populações, sobretudo às mais carentes. 

Essa nova disposição expressa por Lula contrapõe-se de maneira literal ao discurso e à prática do governante anterior, que demonstrava ver nos governadores e prefeitos verdadeiros inimigos, com os quais não queria diálogo e não pretendia dividir qualquer inciativa governamental. 

Presidente Lula propõe união com todos os governadores 

OBRAS PARALISADAS 

Esse modelo de atuar instaurado pelo presidente que, derrotado nas urnas, despediu-se do Brasil, explica a tragédia de governança que ele deixou ao povo. O percentual de obras públicas paralisadas nos dois últimos anos de seu governo subiu de 29% para 38,5%, fazendo com que dos 22,5 mil contratos pagos com recursos do Governo Federal, 8.674 foram considerados interrompidos pelo Tribunal de Contas das União (TCU). As obras suspensas somaram R$ 27,2 bilhões, o maior volume desde 2018. 

RELATÓRIO DO TCU 

Nesse quadro trágico, o setor Educação foi o que teve maior volume de obras paralisadas. Nada menos do que 4.473, seguidas por saneamento, saúde e infraestrutura de transportes. O último relatório do TCU refere-se a Agosto de 2022, ensejando-se que de lá até 31 de Dezembro desde ano, o quadro tenha piorado. A conclusão das autoridades de fiscalização e controle é de que o Brasil virou um cemitério de obras paralisadas. 

Esse cenário piorou muito de 2018 ( sob o governo Temer), quando haviam 38,4 mil contratos federais ativos. Em 2022, o número de obras custeadas pela União caiu 41,2%, ou seja, uma queda de 22,5 mil contratos, mas ainda assim o número de paralisação só fez crescer. 

EMPRESAS QUEBRADAS E DESEMPREGO 

O resultado dessa absurda quebra de contratos e da interrupção de milhares de obras, foi a quebradeira de empresas de obras e serviços, o aumento significativo do desemprego e, na sequência, as carências e a fome, esta atingindo hoje 33 milhões de brasileiros. 

UNIÃO 

Daí, sabendo disso e colhendo muito mais graves informações levantadas por sua equipe de transição, comandada pelo vice-presidente Geraldo Alckimin, o presidente Lula quer não apenas dialogar com os governadores, sejam eles aliados ou adversários políticos. Entende que não será possível governar o Brasil e retirá-lo dessa tragédia de gestão, se não for pela união de todos. 

DIÁLOGO COM A DIREITA 

Nessa sua primeira viagem presidencial ao exterior, quando participou da Cúpula das Américas, Lula deu demonstrações claríssimas de que busca sempre a união como fator preponderante na superação de crises. Daí, sua pregação veemente, nos encontros individuais e nos seus pronunciamentos oficiais, de que cabe à América do Sul e ao Caribe unir-se em torno de objetivos comuns, no caminho de um desenvolvimento regional possível e do fortalecimento da região no conjunto universal. Além de ampliar o diálogo com os parceiros tradicionais, como a Argentina, Lula foi até o Uruguai, para uma conversa com o presidente Luís Lacalle Pou. 

Ao buscar diálogo com um presidente reconhecido como de direita, Lula demonstra sua notável capacidade para o entendimento e dá a todos uma lição: questões ideológicas não podem estar acima do interesse público e da afirmação das Américas. 

OBRAS MAIS URGENTES 

Lula quer que cada governador elenque quais as obras mais necessárias e mais urgentes em cada Estado da Federação. Não quer simplesmente agir de cima para baixo. Sabe muito bem que prefeitos e governadores têm muito melhor conhecimento de suas demandas do que o Governo Federal, por mais sério e bem intencionado que seja.  O pacto federativo por correções e avanços nunca foi  tão possível quanto agora.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES