Exclusivo  Comandante analisa áudio do piloto durante queda de avião em Teresina

Com mais de 30 anos de experiência na aviação, Gregório Mendes comenta sobre a situação da aeronave e a decisão do piloto durante o acidente.

Avalie a matéria:
 Comandante analisa áudio do piloto durante queda de avião na zona Norte de Teresina | Reprodução/Bom Dia Meio Norte

No início da tarde desta segunda-feira (12), um avião de pequeno porte caiu em um campo de futebol na Zona Norte de Teresina (PI), deixando cinco pessoas feridas. O comandante Gregório Mendes, piloto com mais de 30 anos de experiência na aviação, concedeu uma entrevista exclusiva ao Bom Dia Meio Norte, analisando o áudio do piloto Arcedino Concesso Pereira Filho, envolvido no acidente.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a aeronave monomotor de prefixo PT-RHJ, modelo EMB-711ST, decolou do Aeroporto Senador Petrônio Portela após reabastecimento, quando perdeu sustentação e precisou realizar um pouso forçado no campo de futebol do Bariri, no bairro Vila Operária. O voo tinha como destino Araguaína (TO), partindo de Fortaleza (CE). Os ocupantes, todos da mesma família, foram resgatados com vida e sem ferimentos graves.

 Comandante analisa áudio do piloto durante queda de avião em Teresina (Foto: Corpo de Bombeiros do Piauí)

No áudio divulgado pelo Meionorte.com, é possível ouvir uma conversa entre a torre de controle do Aeroporto Petrônio Portela e o piloto Arcedino Concesso, onde ele informa que a porta da aeronave estava aberta. O controlador de voo autoriza o retorno da aeronave e informa que a "pista dois" está livre para um possível pouso. O piloto, então, declara que retornará devido à porta aberta.

O comandante Gregório Mendes, ao analisar o áudio, disse que a porta aberta não é motivo para a queda do avião. Ele especula que o piloto pode ter aberto a porta durante o pouso para evitar que ela ficasse travada, pois em caso de impacto, ela poderia não abrir, dificultando a evacuação de emergência da família. 

Leia Mais

"Porta aberta não é motivo para se derrubar avião. Eu muitas vezes fiz voos com aviões até sem a porta, para fazer filmagens e fotos. Imagino eu que ele abriu a porta por medo dela ficar travada durante o pouso. Como o avião estava com bom abastecimento, há risco de fogo", disse.

O campo onde o avião monomotor caiu fica a menos de 1 km do aeroporto da capital. O comandante Gregório Mendes acredita que o piloto agiu corretamente ao não tentar chegar à pista, pois teria caído antes. "Ele agiu bem. Sentiu o avião, viu que era possível fazer o pouso no campo e não insistiu em chegar ao Aeroporto", contou.

Esta foi a segunda queda de avião registrada na capital piauiense em menos de 24 horas. Na tarde de domingo (11) uma aeronave de pequeno porte caiu em uma região de mata próxima ao Parque Encontro dos Rios, também na zona norte da cidade. Duas pessoas foram resgatadas após o acidente: o piloto Marcelo Nogueira Ramos, soldado da Polícia Militar do Ceará, e o copiloto Jhony Francisco Alves dos Santos. Eles não apresentaram ferimentos graves.

Brasil registra um acidente aéreo a cada dois dias

Segundo dados do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da FAB (Força Aérea Brasileira), o país registrou em média um acidente aéreo a cada dois dias entre janeiro de 2012 e abril de 2023. Foram contabilizados 1.878 acidentes envolvendo helicópteros, aviões, ultraleves, planadores, hidroaviões e trikes.

As ocorrências resultaram em 844 mortes em 441 acidentes fatais. Os dados compilados pela plataforma Sipaer (Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) do Cenipa indicam que a perda de controle em voo, a falha do motor e a colisão com obstáculos durante o pouso ou a decolagem são as principais causas dessas tragédias.

Gregório Mendes ressalta que, embora o número de acidentes aéreos esteja diminuindo nos últimos anos, ainda há motivos de preocupação. "A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é responsável por fiscalizar as oficinas de manutenção. O órgão exige que elas operem em conformidade com a legislação. Em um levantamento realizado em 2021, o Cenipa constatou que quase metade dos acidentes aéreos com aeronaves de pequeno porte, ou seja, 46%, foi  por falhas mecânicas. Por isso, essas aeronaves precisam de manutenção", contou.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES