Justiça aumenta pena de condenado pela morte da estudante Camilla Abreu

Em 2021, Allisson Wattson da Silva Nascimento foi condenado por feminicídio qualificado por motivo fútil, sem chance de defesa, ocultação de cadáver e fraude processual

Avalie a matéria:
Allisson Wattson foi preso pelo feminicídio da estudante de direito Camilla Pereira de Abreu | Reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

O Tribunal de Justiça do Piauí aceitou a solicitação do Ministério Público (MP) e aumentou a sentença de Allisson Wattson da Silva Nascimento, ex-capitão da Polícia Militar, condenado pelo feminicídio da estudante de Direito Camilla Abreu. Sua pena, que antes era de 17 anos, foi elevada para 22 anos de prisão.

Essa decisão foi tomada após o Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) rejeitar o recurso de defesa e aceitar o recurso do Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI), que buscava revisar a pena previamente imposta.

Allisson Wattson foi preso em outubro de 2017 como o principal suspeito do feminicídio da estudante de Direito Camilla Pereira de Abreu, de 21 anos. Antes de admitir o crime, ele tentou ocultar manchas de sangue no carro e mentiu para a família da jovem.

Em 2021, o ex-capitão foi condenado por feminicídio qualificado por motivo fútil, sem chance de defesa, ocultação de cadáver e fraude processual, com uma sentença de 17 anos de prisão.

O Ministério Público apresentou um recurso pedindo um aumento de pena de 5 anos para o réu. O TJ-PI acatou o recurso e Allisson Wattson deve cumprir agora 22 anos e 15 dias de prisão, além de 4 meses de detenção.

Leia Mais


Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES