Piauí + Genética: 200 mil inseminações artificiais serão ofertadas no Estado

Serão investidos R$ 20 milhões na primeira fase do programa, com projetos e ações estratégicas para o melhoramento genético dos rebanhos

Avalie a matéria:
Piauí + Genética: 200 mil inseminações artificiais serão ofertadas | Ascom

Pelo menos 200 mil inseminações artificiais serão ofertadas para pequenos produtores do Piauí até o próximo ano, sendo que o melhoramento genético de rebanhos será iniciado no próximo mês de dezembro. Foi o que informou neste sábado (21), o secretário Fábio Abreu, da Secretaria da Assistência Técnica e Defesa Agropecuária (Sada).

O Programa Piauí + Genética, que tem investimento garantido de R$ 20 milhões para a primeira fase, engloba projetos e ações estratégicas para o desenvolvimento de técnicas de manejo e melhoramento genético dos rebanhos de bovino, caprinos e ovinos, com o uso da biotecnologia de inseminação artificial e da utilização de reprodutores melhoradores.

Fábio Abreu informou que o Programa Piauí + Genética foca nos pequenos produtores e pequenos pecuaristas que vão receber a distribuição de sêmen, para fazer a inseminação artificial. "Vamos começar com 40 mil inseminações, em média de 200 reprodutores. Nós vamos priorizar a inseminação nos bovinos e a reprodução, o fornecimento de reprodutor nos caprinos e nos ovinos e também nos suínos", pontua o gestor.

Piauí + Genética: 200 mil inseminações artificiais serão ofertadas a partir de dezembro - Foto: Ascom

Ele destacou que o procedimento de inseminação iniciará a partir do mês de dezembro, muito provavelmente na ExpoapiO pequeno produtor vai se cadastrar e apresentar os animais que ele tem e vai ser orientado o procedimento que deve tomar para preparar esses animais. O produtor vai receber da Sada o reprodutor dos caprinos e ovinos. Esse reprodutor vai passar em média um ano com ele fazendo a cobertura do plantel de fêmeas. Vai ser oferecido um reprodutor puro de origem, com certificado. Os sêmens adquiridos também são de centrais de referência no Brasil, os melhores sêmens vão ser ofertados para os pequenos produtores.

"Essa é uma revolução que vamos fazer, inicialmente, no norte do estado. Vamos ter dois focos para a questão dos bovinos: aqueles que têm tendência para o desenvolvimento da produção leiteira receberão sêmens para animais de qualidade com a reprodução leiteira; os que forem para corte vão ser sêmens de nelore, de qualidade também", frisa o secretário. Ele ressaltou que estão sendo priorizados produtores que ainda não têm a cultura da inseminação artificial. "A partir do próximo ano, a gente quer chegar a 200 mil inseminações ofertadas gratuitamente para os pequenos produtores", enfatiza.

Segundo Fábio Abreu, os produtores vão receber um produto de qualidade que cruzado com um animal que ele tem lá no seu plantel, que em regra não é um animal puro, mas a qualidade do produto que eles vão obter com esse sêmen de altíssima qualidade é totalmente acima da média do que ele tem na produção local. "Isso eu digo em relação a tamanho mesmo, um bezerro filho de um touro comum com uma vaca comum, o tamanho é mediano. Um sêmen ou um touro puro de origem, dos melhores com a vaca comum, vai dar um produto muito bom. Então é isso que a gente destaca a importância de nós implantarmos essa cultura no estado Piauí", explica.

O objetivo é gerar empregos, impactar diretamente a economia local e preparar os criadores para a ‘onda’ de frigoríficos que estão sendo implantados no Piauí. O Governo do Piauí está implantando indústrias de proteínas e, portanto, faz-se necessário elevar a melhoria genética dos rebanhos de pequenos e médios produtores para atender essa demanda da indústria de proteína animal. Toda essa estrutura faz parte de uma cadeia bem planejada e de uma política que o Governo do Estado está implementando no sentido de melhorar o padrão de qualidade da carne.

No último mês de setembro, por exemplo, o governador Rafael Fonteles participou do lançamento da pedra fundamental do Frigorífico Botão de Sola, do Grupo Sama, no município de Socorro do Piauí. O investimento vai gerar 3 mil empregos diretos na região, onde pelo menos 13 mil hectares de terra serão irrigados.

(Com informações do Governo do Estado)

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES