Piauiense de 42 anos dá à luz gêmeas em gestação rara em Teresina

As gêmeas, Luna Vitória e Liz Valentina, nasceram às 20h20 do dia 13 de setembro de 2023, por meio de uma cesariana.

Avalie a matéria:
Piauiense de 42 anos dá à luz gêmeas em gestação rara em Teresina | Reprodução

Lucineide Rodrigues, 42, moradora do Sul do Piauí, surpreendeu os profissionais da Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa ao dar à luz gêmeas após uma gestação extremamente rara. Durante o pré-natal, Lucineide foi diagnosticada com uma gestação mono-mono, uma condição que ocorre em menos de 1% das gestações gemelares.

Na última quarta-feira, dia 13 de setembro de 2023, durante uma consulta de rotina com a médica obstetra Melinne Cortez na Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa, Lucineide foi encaminhada imediatamente para a realização do parto, devido ao risco associado à sua condição.

A obstetra Melinne Cortez explicou que Lucineide recebeu um acompanhamento especializado de alto risco desde o início da gestação gemelar.

 "Devido ao acompanhamento e orientação adequados durante o pré-natal de alto risco, a transição para o parto foi tranquila. De acordo com a literatura médica, em gestações monoamnióticas após as 34 semanas, é recomendado realizar o parto, pois existem riscos associados à continuação da gestação", explicou a médica.

A obstetra Melinne Cortez explicou que Lucineide recebeu um acompanhamento especializado(Foto: Divulgação)

A médica também comunicou os desafios enfrentados em gestações tão raras, como o entrelaçamento dos cordões umbilicais, que pode levar à perda de um ou ambos os bebês. 

As gêmeas, Luna Vitória e Liz Valentina, nasceram às 20h20 do dia 13 de setembro de 2023, por meio de uma cesariana. Lucineide compartilhou sua gratidão pela equipe médica. “Eu pensei que conseguiria esperar um pouco mais para ter as meninas, porque tinha medo de fazer o parto antes e algo dar errado. Mas, graças a Deus, deu tudo certo. Todos os profissionais me atenderam muito bem, e eu fiquei emocionada ao ouvir o choro das minhas filhas."

Apesar da prematuridade, as gêmeas não necessitaram de cuidados intensivos na UTI neonatal.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES