Sesapi intensifica combate dos vetores de transmissão da doença de chagas

As equipes da Vigilância Ambiental fazem o trabalho de busca ativa supervisionando áreas que registram alta incidência do inseto

Avalie a matéria:
Sesapi intensifica combate dos vetores de transmissão da doença de chagas | Ascom

A Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) está intensificando, por meio da Vigilância Ambiental, o trabalho de combate ao “inseto-barbeiro”, vetor de transmissão da doença de chagas. Apesar do inseto ser considerado endêmico em todo o estado, ações são focadas sobretudo em municípios localizados na região do semiárido piauiense, onde há focos de infestação da doença.

Em parceria com os municípios, as equipes fazem o trabalho de busca ativa supervisionando áreas que registram alta incidência do inseto. Além da realização de testes sorológicos, também é feita a coleta do “bicho-barbeiro” quando encontrado durante a inspeção desses locais e a capacitação dos técnicos municipais para dar continuidade às ações de combate à doença de chagas.

“Essa é uma ação importante para combatermos o barbeiro, que é o transmissor da doença de chagas. Combatendo o vetor estaremos combatendo os casos da doença, que tem uma incidência muito grande e que pode ocasionar vários problemas cardíacos e inclusive levar à morte”, explica Walterlene Carvalho, coordenadora da Vigilância Ambiental.

O “bicho-barbeiro” tem hábitos noturnos e pode se esconder em paredes, frestas, camas e colchões das casas, podendo infectar humanos e animais mamíferos. A transmissão da doença ocorre principalmente após o “barbeiro” picar a pessoa, provocando irritação. Ao coçar a área, o protozoário contido nas fezes acaba se espalhando e entra na corrente sanguínea pelo local da picada.

A infecção causada pelo inseto pode provocar diversos problemas cardíacos e intestinais que, se não tratados, podem se tornar sequelas crônicas sem a possibilidade de cura e inclusive levar à morte. Segundo dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) da Sesapi, o Piauí registrou 46 óbitos pela doença de chagas em 2022.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES