Soja impulsiona exportações do Piauí que chegam a R$ 640,2 milhões

Com essa exportação, o Piauí registra superávit de cerca de R$ 471 milhões.

Avalie a matéria:
Soja e milho são destaques nas exportações do Piauí | Divulgação
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Em abril de 2024, o Piauí registrou um recorde no valor de suas exportações para o ano, alcançando US$ 124,1 milhões, o que corresponde a aproximadamente R$ 640,2 milhões. Esse valor representa um aumento significativo em comparação com março de 2024, quando as exportações foram de US$ 42,8 milhões. Os números indicam um crescimento de 65,5% em relação ao mês anterior, ou R$ 419 milhões a mais, conforme dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) na última quarta-feira.

Importações: Por outro lado, as importações no estado em abril de 2024 atingiram US$ 32,7 milhões, equivalentes a R$ 168,6 milhões, resultando em um superávit de US$ 91,4 milhões na balança comercial do mês, ou cerca de R$ 471 milhões. Este superávit representa 73,6% do total de produtos comercializados.

Redução: Comparando com o mesmo período do ano anterior, houve uma redução nas exportações, que foram US$ 73,6 milhões menores do que em abril de 2023, quando o estado exportou US$ 197,7 milhões. Isso marca uma queda de 37,2% ano a ano. Contudo, as importações mostraram um crescimento expressivo de 50,5%, subindo de R$ 83 milhões em abril de 2023 para R$ 168,6 milhões em abril de 2024.

Principais produtos: Os principais produtos exportados pelo Piauí foram soja, que representou 66% do total exportado com US$ 81,9 milhões, seguido por milho com 8,3% (US$ 10,3 milhões), farelo de soja com 6,7% (US$ 8,3 milhões), minério de ferro com 6,1% (US$ 7,5 milhões), e outras gorduras e óleos animais ou vegetais com 3,7% (US$ 4,6 milhões).

Maiores exportadores do PI: Os municípios que mais contribuíram para as exportações foram Uruçuí, Bom Jesus, Corrente, Baixa Grande do Ribeiro e Parnaíba. Os principais compradores internacionais foram a China (61%), os Estados Unidos (6,6%), Espanha (6%), Irã (4,5%) e Taiwan (3,6%).

O que diz a SDE: Deusval Lacerda de Moraes, superintendente da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, enfatizou o papel do governo estadual no suporte ao agronegócio. "A administração está investindo em infraestrutura, educação, digitalização de serviços públicos, inovação, logística e produtividade para fortalecer o agronegócio e outros setores locais. A intenção é melhorar o ambiente de negócios, atrair mais investimentos e elevar a qualidade de vida da população do estado", destacou Moraes.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES