Suspeito de matar mulher a facadas na frente dos três filhos se entrega à polícia

O crime ocorreu no dia 19 de maio, no bairro São Joaquim, na zona norte da capital piauiense. O filho mais velho de Luana Alves presenciou o crime

Avalie a matéria:
O mototaxista Francisco de Assis é acusado de matar Luana Alves | Reprodução

O suspeito de matar a esposa de 31 anos na frente dos três filhos, na zona Norte de Teresina, foi preso após se apresentar nesta terça-feira (28) no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), acompanhado de um advogado. A defesa do mototaxista Francisco de Assis declarou que ele se mostra arrependido.

O QUE ACONTECEU

O crime ocorreu no dia 19 de maio, no bairro São Joaquim, na zona norte da capital piauiense. De acordo com a Polícia Civil, Luana Alves foi esfaqueada na frente dos três filhos do casal. O mais velho, um menino de 12 anos, pediu ajuda aos vizinhos, que então acionaram a Polícia Militar para relatar o ocorrido.

O advogado de Francisco de Assis, Udilisses Bonifácio, disse que a decisão de se apresentar à polícia partiu do próprio acusado. “Foi uma decisão dele. Ele mesmo teve esse interesse de se apresentar para responder ao processo que pesa contra ele. Obviamente, a defesa esperou o momento mais oportuno, e esse momento é agora", relatou o advogado à jornalista Mikaela Ramos.

Francisco de Assis se entregou à polícia na manhã desta terça-feira (Foto: Reprodução)

"ELE ESTÁ ARREPENDIDO"

Udilisses declarou que Francisco de Assis demonstrou arrependimento. O advogado se referiu ao caso como um ato "muito drástico". “Ele está arrependido. Infelizmente, foi um ato muito drástico para o ser humano, e desde o momento que ele entrou em contato conosco na segunda-feira, ele se manteve bastante arrependido”, falou o advogado.

FILHO VIU MÃE SENDO MORTA

A delegada Natália Figueiredo, titular do Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), comentou que durante a investigação ouviu o filho mais velho do casal, que presenciou a morte da mãe.

“Estava muito clara a questão do feminicídio, mas nós tínhamos que ouvir testemunhas, inclusive testemunhas oculares. Infelizmente, o filho da vítima presenciou tudo isso e, de posse de todas as oitivas, nós representamos pela prisão preventiva e demos cumprimento agora pela manhã”, disse Natália.

A Polícia Civil tem agora 10 dias para concluir o inquérito criminal. Sobre a guarda das três crianças, a delegada afirmou que será algo que os familiares terão que resolver entre si. “Ele vai estar preso de forma preventiva, e é importante frisar o momento de horror que essas crianças passaram. Presenciar a mãe sendo morta de forma tão cruel é algo muito difícil, e esperamos que haja um cuidado maior na assistência psicológica a essas crianças”, concluiu.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES