Teresina registrou 171 novos casos e um óbito por Covid-19 na última semana

De acordo com o painel, a positividade dos testes RT-PCR aumentou de 27% para 35%, enquanto os testes rápidos de antígeno apresentaram um aumento de 37% para 46%.

Avalie a matéria:
Teresina registrou 171 novos casos e um óbito por Covid | Reprodução

Na última semana, Teresina registrou 171 novos casos e um óbito relacionado à Covid-19. Esses dados são provenientes do painel situacional da Covid-19 da capital, referentes ao período de 24 a 30 de dezembro de 2023. A média móvel, taxa de transmissão da doença na cidade, permanece acima da unidade (R0 > 1,0) – o que indica que a cidade ainda está em fase de aumento da transmissão. 

De acordo com o painel, a positividade dos testes RT-PCR aumentou de 27% para 35%, enquanto os testes rápidos de antígeno apresentaram um aumento de 37% para 46%. Os casos confirmados reduziram 20%, passando de 215 para 171, em comparação com a 51ª semana.

Até às 12h do dia 2 de janeiro, 27 pacientes estavam internados na rede de saúde pública da capital devido à Covid-19. Após vários meses sem ocorrência de mortes pelo agravo, na última semana de 2023 foi registrado um óbito relacionado à doença na capital. Tratava-se de pessoa idosa e com comorbidades.

No que diz respeito à demanda por testes, o RT-PCR permaneceu estável, enquanto o teste rápido de antígeno teve uma redução de 35% em comparação com a semana de 17 a 23 de dezembro.

A equipe do Cievs-Teresina comunicou que devido às festividades de fim de ano, é esperada uma redução na demanda e oferta de testes, assim como na velocidade de registro nos sistemas de informação. Portanto, os dados sobre variações nos casos, testes e R0 podem estar subestimados.

O Diretor de Vigilância em Saúde da FMS e infectologista, Walfrido Salmito,  reforça a necessidade da população se vacinar. 

 “os dados epidemiológicos apresentados indicam estado de atenção, motivando reforço à vacinação com dose de reforço bivalente aos grupos mais vulneráveis, imunização de crianças conforme calendário vacinal atualizado pelo Ministério da Saúde recentemente e a utilização obrigatória de máscaras em serviços de saúde. Também é recomendável o uso da máscara por indivíduos mais suscetíveis às formas graves da doença, quando estiverem em ambientes fechados, semiabertos ou com aglomeração de pessoas. Reforçamos a importância da higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel", diz Salmito.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES