Empresário João Paulo é preso novamente acusado de matar adolescentes

O proprietário do restaurante Frango Potiguar foi preso pelos policiais do DHPP na manhã desta terça-feira (08)

Avalie a matéria:
joao | reprodução

O empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves Rodrigues, de 35 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (08), suspeito de  torturar e matar os adolescentes Luian Ribeiro de Oliveira e Anael Natan Colin. O tio dele, o servidor público Francisco das Chagas Sousa e o primo, o advogado Guilherme de Carvalho também foram presos mais cedo. 

João Paulo é preso novamente suspeito de torturar e matar adolescentes em Teresina

As prisões foram realizadas pela Polícia Civil do Piauí, através do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Conforme a polícia, os três participaram do crime contra os jovens e devem responder pelos crimes de: duplo homicídio triplamente qualificado, cárcere privado, ocultação de cadáver e fraude processual.

 Luian Ribeiro de Oliveira, de 16 anos, e Anael Natan Colins, de 17 anos, foram encontrados mortos em 15 de novembro, na zona rural Leste de Teresina, após ficarem dois dias desaparecidos. 

O delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko, afirmou em entrevista à Rede Meio Norte que foram decretadas as prisões dos três acusados, mas o empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves Rodrigues, estava foragido.

Anael Natan, de 17 anos e Luian Ribeiro, de 16 anos - Foto: Reprodução 

"As versões que foram apresentadas foram aceitas e terminamos optando por pedir a prisão dos três autores, o Francisco das Chagas, Guilherme de Carvalho e João Paulo de Carvalho e hoje nós fomos dar cumprimento a esses mandados", declarou.

ADOLESCENTES FORAM TORTURADOS

"Nos últimos dias as novas versões apresentadas se aproximam um pouco mais da realidade, mas está longe de ser a verdade, tem muita coisa para ser esclarecida. Principalmente sobre a sessão de espancamento que esses dois menores sofreram no interior da residência. Esses meninos foram espancados e torturados no interior da casa. Lá havia pelo menos quatro homens, O Francisco, Guilherme, João Paulo e o Amauri. Com essas prisões nós precisamos avançar mais sobre a conduta de cada um deles, é um crime complexo, grave. O que a gente sabe é que quando eles foram colocados no carro eles já foram com a intenção de serem executados, essa história de que no meio do caminho mudaram de ideia, isso é conversa fiada".

MPPI apresenta parecer favorável à prisão de acusados de homicídios

O Ministério Público do Piauí, por meio do promotor de Justiça Regis de Moraes Marinho, titular da 15ª Promotoria de Justiça de Teresina, manifestou-se favorável à decretação da prisão preventiva de João Paulo de Carvalho Gonçalves Rodrigues, Francisco das Chagas Sousa e Guilherme de Carvalho Gonçalves Sousa, por existirem razoáveis indícios que apontam para João Paulo e/ou Guilherme Sousa, como executores materiais dos homicídios e ocultação de cadáver, ao tempo em que os três representados teriam participado ativamente do delito de cárcere privado qualificado de Anael Natan e Luian Ribeiro, não sendo descartado, inclusive, a ciência e adesão de Francisco das Chagas às demais condutas delitivas. A determinação judicial saiu na noite desta segunda-feira, 07 de fevereiro.

O juiz de Direito da Central de Inquéritos de Teresina, Valdemir Ferreira Santos, decretou a prisão preventiva dos três acusados, diante da gravidade concreta do delito, pela forma como o crime ocorreu e do justo receio de que em liberdade possam causar risco à ordem pública, à preservação da instrução criminal e à aplicação da lei penal.

Na mesma decisão sobre a prisão dos acusados, o representante do Poder Judiciário deferiu, ainda, o pedido de busca e apreensão domiciliar, o afastamento do sigilo de dados eletrônicos e do sigilo telefônico dos aparelhos que venham a ser apreendidos durante a execução da decisão judicial.

Momento em que o empresário João Paulo chega à sede do DHPP - Foto: Reprodução/Rede MN

Motivação do crime

Na primeira vez em que foi preso no dia 25 de janeiro, o empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves Rodrigues, confessou em depoimento que os jovens estavam em uma festa ao lado do sítio da sua família, quando pularam o muro da propriedade para realizar um assalto. Eles estariam armados com uma barra de ferro retirado da motocicleta em que andavam.

Nesse momento, eles acabaram sendo capturados e levados para um matagal, onde foram mortos a tiros no povoado Anajás, região da cacimba velha, na zona rural Leste de Teresina.

Relembre o caso

Luian Ribeiro de Oliveira, de 16 anos e Anael Natan Colins, de 17, haviam desaparecido após uma festa, realizada no dia 12 de novembro de 2021, em um sítio próximo à Ladeira do Uruguai, na zona Leste de Teresina.  

Após dois dias de buscas, os corpos dos adolescentes foram encontrados em um matagal às margens da PI-112, rodovia que liga a Teresina ao município de União.  O DHHP chegou a levantar a hipótese de que Luian e Anael haviam sido mortos após uma briga de trânsito na madrugada em que foram assassinados.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES