Estudante de medicina é preso suspeito de fazer Enem em nome de outros candidatos

André Rodrigues Ataíde, 23 anos, foi capturado na casa de parentes na capital paraense, onde estava temporariamente.

André Rodrigues estava em um condomínio de luxo | Reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

A Polícia Federal prendeu na sexta-feira (29), em Belém (PA), um estudante de medicina acusado de realizar as provas do Enem para pelo menos duas outras pessoas. A prisão ocorreu como desdobramento da operação Passe Livre, iniciada em fevereiro em Marabá, sudeste do Pará. 

O QUE ACONTECEU: André Rodrigues Ataíde, 23 anos, foi capturado na casa de parentes na capital paraense, onde estava temporariamente. Ele é acusado de falsidade ideológica, uso de documento falso e estelionato, com agravante por ter sido contra uma autarquia.

Segundo a PF, André fez as provas para um parente em 2022 e para um amigo em 2023, ambos tendo sido aprovados. A Universidade do Estado do Pará (UEPA) suspendeu os três alunos de medicina investigados. 

Após os procedimentos na Polícia Federal, André foi encaminhado ao Sistema Penal. Seu advogado alega que a prisão é desproporcional e que seu cliente tem colaborado com as autoridades desde o início das investigações.

EM TRATAMENTO MÉDICO: A PF esteve na casa do suspeito na quarta-feira (27) e foi informada pelos familiares sobre sua possível prisão iminente. Em entrevista, o advogado de defesa afirmou que André estava na capital para tratamento médico e não tentou fugir. 

A operação, iniciada em fevereiro, resultou em três mandados de busca e apreensão, sem prisões na época. As investigações revelaram que os aprovados em medicina na UEPA de Marabá não foram os verdadeiros realizadores das provas do Enem, conforme constatado pela perícia da Polícia Federal.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES