Fugitivo brasileiro nos EUA matou a ex-namorada para evitar denúncia à polícia

Segundo as autoridades, em 2017, Cavalcante fugiu para Porto Rico e, posteriormente, ingressou nos Estados Unidos de forma ilegal.

Avalie a matéria:
Danilo Sousa Cavalcante foi condenado por matar a namorada | Reprodução

O fugitivo brasileiro que escapou da prisão nos Estados Unidos na quinta-feira (31) foi acusado de assassinar sua ex-namorada, alegadamente porque ela tinha conhecimento de outro crime que ele havia cometido e ameaçava denunciá-lo às autoridades, conforme as investigações dos detetives responsáveis pelo caso.

Vale ressaltarq que Danilo Sousa Cavalcante, condenado à prisão perpétua em agosto pelo assassinato de Débora Evangelista Brandão, uma maranhense, na cidade de Phoenixville, em abril de 2021, é o criminoso por trás desse terrível ato. Ele tirou a vida de sua ex-companheira cruelmente, desferindo 38 facadas diante dos dois filhos pequenos dela, que na época tinham apenas 4 e 7 anos.

As investigações iniciais do caso indicam que Danilo não aceitava o fim do relacionamento e já havia cometido atos de violência e ameaças contra a vida de Débora em ocasiões anteriores. "Ela terminou com ele várias vezes, e ele sempre tentava voltar. Não sei por que ele a esfaqueou. Foi um ato extremamente brutal", lamentou Sara Brandão, irmã da vítima, na época do crime.

As autoridades descobriram que Débora havia descoberto que Cavalcante estava sendo procurado pela polícia do Tocantins, no Brasil, como o principal suspeito do assassinato de um homem em 2017. No dia anterior à sua morte, após uma discussão, a ex-namorada ameaçou denunciá-lo às autoridades.

"Ao saber que o réu tinha um mandado de prisão em aberto por homicídio no Brasil, a vítima ameaçou entregá-lo à polícia. Os detetives concluíram que esse foi o motivo do assassinato", relatou o comunicado emitido pela promotoria encarregada do caso.

Segundo as autoridades, em 2017, Cavalcante fugiu para Porto Rico e, posteriormente, ingressou nos Estados Unidos de forma ilegal.

Atualmente, Cavalcante estava sob custódia em uma prisão com cerca de 700 detentos localizada em Pocopson Township, um município rural na Pensilvânia, que abriga menos de 5 mil habitantes. Ele aguardava ser transferido para uma instituição correcional estadual, de acordo com o "The Philadelphia Inquirer".

Para capturá-lo, estão sendo mobilizados centenas de policiais, drones, helicópteros e cães. A promotora distrital do condado de Chester, Deb Ryan, afirmou na sexta-feira (1°) que as buscas se concentravam em ferrovias, hidrovias e rotas fora da região.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES