Número de mortes na Operação Verão no litoral de São Paulo sobe para 56

O governo paulista esclareceu que as mortes decorrentes de confrontos são resultado da reação violenta dos criminosos à ação policial

Número de mortes na Operação Verão no litoral de São Paulo sobe para 56 | Foto: Divulgação/SSP-SP
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Na tarde de sexta-feira (29), um indivíduo de 22 anos faleceu durante um confronto com a Polícia Militar na Vila Santa Rosa, no Guarujá. A informação foi confirmada pela SSP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo, elevando para 56 o total de óbitos registrados na Operação Verão no litoral de SP, conforme o balanço oficial da SSP. 

SOBRE O CRIME: Segundo informações da SSP, a polícia relatou que o suspeito, supostamente armado e portando um rádio comunicador, foi abordado durante uma operação de combate ao tráfico de drogas. Ao notar a presença dos agentes, ele tentou empreender fuga e teria apontado a arma na direção dos policiais, resultando na intervenção das autoridades. O indivíduo foi atingido e seu óbito foi confirmado no local por uma equipe do Samu. O nome do suspeito não foi divulgado. 

CASO REGISTRADO NA DELEGACIA: Segundo informações fornecidas pela SSP, foram encontradas uma pistola calibre .40, um rádio comunicador e 379 porções de drogas, incluindo maconha, cocaína, crack e haxixe, dentro de uma sacola na posse do homem. O caso foi encaminhado à delegacia do Guarujá, onde foram solicitados exames periciais. O incidente foi registrado como tráfico de entorpecentes, posse ou porte ilegal de arma de fogo, morte decorrente de intervenção policial e legítima defesa. 

MAIS DE MIL PESSOAS PRESAS: Durante a 3ª fase da Operação Verão na Baixada Santista, mais de mil indivíduos foram detidos, conforme informado pela SSP. Dentre os detidos, 434 estavam com mandados de prisão em aberto. Além disso, foram apreendidas 2,5 toneladas de drogas e 118 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito. O governo paulista esclareceu que as mortes decorrentes de confrontos são resultado da reação violenta dos criminosos à ação policial.

SECRETÁRIO DENUNCIADO APÓS MORTES: O Condepe (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana) encaminhou uma representação ao procurador-geral de Justiça de São Paulo contra Guilherme Derrite, secretário de Segurança Pública do estado. A representação menciona a suspeita de improbidade administrativa relacionada às operações policiais com alto índice de letalidade histórica na região litorânea paulista.  

O QUE DISSE A SSP? SSP diz que tomou conhecimento da representação e que as mortes são "rigorosamente investigadas". "A pasta teve conhecimento informal da representação do Condepe e irá responder aos questionamentos assim que acionada pelo Ministério Público", disse o órgão em nota.

A recusa da SSP em responder sugere uma falta de vontade por parte do governo de SP em prestar contas à sociedade, afirmou em resposta à representação. Dimitri Sales, presidente do Condepe, chegou a mencionar a declaração do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), que desconsiderou a denúncia feita por organizações em um órgão da ONU sobre o elevado índice de mortalidade nas operações recentes.

(Com informações do UOL)



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES