Brasil promulga Tratado que promove integração de países sul-americanos

A revitalização da Unasul foi uma das promessas de Lula para retomar a integração sul-americana.

Avalie a matéria:
Lula retoma cooperação entre os países sul-americanos | Ricardo Stuckert

O Tratado Constitutivo da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) foi promulgado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A medida consta na edição extra do Diário Oficial da União, publicada nessa quinta-feira (6).

A revitalização da Unasul foi uma das promessas de Lula ao tomar posse na presidência, em janeiro deste ano, para retomar a integração sul-americana e resgatar o protagonismo brasileiro nas parcerias com os demais países do mundo.

O organismo internacional foi criado em 2008,  com o objetivo de criar uma integração entre os países-membros para com o objetivo de "construir, de maneira participativa e consensuada, um espaço de integração e união no âmbito cultural, social, econômico e político entre seus povos, priorizando o diálogo político, as políticas sociais, a educação, a energia, a infraestrutura, o financiamento e o meio ambiente, entre outros, com vistas a eliminar a desigualdade socioeconômica, alcançar a inclusão social e a participação cidadã, fortalecer a democracia e reduzir as assimetrias no marco do fortalecimento da soberania e independência dos Estados".

Na época, os países sul-americanos eram governados majoritariamente por presidentes de esquerda, entre os quais Lula (Brasil), Cristina Kirchner (Argentina), Hugo Chávez (Venezuela) e Michelle Bachelet (Chile).

Em abril de 2019, durante o governo de Jair Bolsonaro, o Brasil deixou o bloco após a criação do Prosul, um novo fórum composto por países da sul-americanos.

Enfraquecimento e retomada

Nos últimos anos, a Unasul passou por um processo de enfraquecimento por causa de discordância no funcionamento no bloco. Países como Argentina, Colômbia e Peru suspenderam a participação. Em 2019, o Chile saiu do bloco e pediu a devolução do edifício-sede da organização.

Agora, com o retorno do Brasil, a Argentina também se prepara para voltar ao grupo. Lula e o presidente argentino, Alberto Fernández, têm defendido maior integração entre os países da América do Sul, além do fortalecimento do bloco do Mercosul, que também conta com Paraguai e Uruguai.

Meio Norte - O seu portal de notícias e exclusivas

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES