Incra faz o georreferenciamento de assentamentos no Piauí

Ao obter o título, o beneficiário se torna proprietário efetivo de seu lote, possibilitando o acesso a outros financiamentos específicos destinados aos agricultores familiares.

Avalie a matéria:
Assentamentos em Amarante são georreferenciados | INCRA

Desde o dia 6 de novembro, uma equipe de servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) está em Amarante, município do Piauí, para realizar o georreferenciamento nos assentamentos Araras e Ararinha. Esta iniciativa visa beneficiar aproximadamente 120 famílias locais.

Maria Teresa Sérvio, superintendente substituta do Incra/PI, ressalta que o propósito principal dessa ação é conceder a titulação definitiva aos assentados. Ao obter o título, o beneficiário se torna proprietário efetivo de seu lote, possibilitando o acesso a outros financiamentos específicos destinados aos agricultores familiares, além dos créditos do Programa Nacional da Reforma Agrária (PNRA).

Leia Mais

O assentamento Araras abrange uma área total de 1,4 mil hectares, distribuída em 76 lotes, enquanto o Ararinha, com 1,1 mil hectares, será dividido em 46 lotes.

José Alves Rodrigues Filho, chefe da Divisão de Governança Fundiária do Incra/PI, explica que os trabalhos têm previsão de conclusão em até 15 dias. Durante esse período, serão realizados o parcelamento e georreferenciamento dos lotes sob responsabilidade direta do Incra. Posteriormente, os autos serão encaminhados à Divisão de Desenvolvimento para dar continuidade ao processo de titulação.

Os assentamentos Tapera (em São João da Varjota), Catarém e Oriente (Nazaré do Piauí) e São Mateus (Canavieira) já foram submetidos ao georreferenciamento, totalizando 104 lotes. A próxima etapa contemplará os assentamentos Saco (município de Caracol), Barra do Sambito (Alto Longá), Lages (Beneditinos) e Mucaitá (São José do Peixe), abrangendo 180 parcelas.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES