Pesquisa mostra que Bolsa Família é a notícia mais positiva do governo Lula

O programa de transferência de renda atende mais de 21 milhões de famílias e, neste ano, foi reformulado trazendo mais benefícios para a população

Avalie a matéria:
Pesquisa mostra que Bolsa Família é a notícia mais positiva do governo Lula | Roberta Aline/MDS

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Quaest em todo o país aponta que o programa Bolsa Família, coordenado pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate a Fome, Wellington Dias, é percebido pela população como a pauta mais positiva do governo Lula. O programa de transferência de renda atende mais de 21 milhões de famílias e, neste ano, foi reformulado trazendo mais benefícios para a população.

Somente nos primeiros seis meses de governo, a transferência de renda feita pelo programa garantiu a retirada de 18,5 milhões de famílias da linha da pobreza. Segundo o ministro Wellington Dias, o Bolsa Família é referência mundial no combate a fome e a pobreza e a população sente os efeitos positivos dessa ação. “O Bolsa Família é um programa potente do governo Lula que faz diferença na vida das pessoas mais pobres, garantindo a elas recursos para colocar comida na mesa, além de ajudar a manter os filhos na escola e o cuidado com a saúde de todos os membros da família”, destacou.  

Sobre o Bolsa Família

Para ter direito ao Bolsa Família, é preciso estar inscrito no Cadastro Único, com os dados corretos e atualizados. Esse cadastramento é feito em postos de atendimento da assistência social dos municípios, como os CRAS. A principal regra é que a renda de cada pessoa da família seja de, no máximo, R$ 218 por mês. Ou seja, se um integrante da família recebe um salário-mínimo (R$ 1.302), e nessa família há seis pessoas, a renda de cada um é de R$ 217. Como está abaixo do limite de R$ 218 por pessoa, essa família tem o direito de receber o benefício.

Todas as famílias beneficiadas recebem, no mínimo, R$ 600. Além disso, todas as crianças da família com idade entre 0 e 6 anos recebem um adicional de R$ 150. Há ainda um adicional de R$ 50 para todas as gestantes, crianças e adolescentes até 18 anos.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES