PGR rejeita pedido de Deltan para abrir investigação contra Pimenta e Lewandowski

Deputado cassado alegava abuso de autoridade dos ministros após PF abrir inquérito para apurar disseminação de notícias falsas sobre a tragédia climática no Rio Grande do Sul.

Avalie a matéria:
Lula, Pauo Pimenta e Ricardo Lewandowski | Reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

O pedido de investigação feito pelo ex-deputado Deltan Dallagnol contra o Ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, e o Ministro da Secretaria Extraordinária para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, foi rejeitado pelo Procurador-Geral da República, Paulo Gonet. 

Dallagnol havia solicitado à PGR uma investigação por suposto abuso de autoridade, após a abertura de um inquérito pela Polícia Federal para apurar a disseminação de notícias falsas relacionadas à tragédia climática que assolou o Rio Grande do Sul.

A PF, subordinada ao Ministério da Justiça, abriu o inquérito a pedido da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), à época chefiada por Paulo Pimenta. Por isso, os dois ministros são citados no pedido de Dallagnol.

Deltan alega que não existem "indícios de crimes que justifiquem a instauração de inquérito policial, mas apenas informações e/ou críticas políticas ao Governo Federal, que não podem ser tolhidas". E afirmou que parlamentares e jornalistas estavam entre os investigados.

No entanto, ao negar o pedido, o PGR afirmou que os elementos apontados "não se mostram suficientes à realização de apurações".



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES