Familiares e amigos revelam sonhos e objetivos de Rayron Holanda

Familiares e amigos revelam sonhos e objetivos de Rayron Holanda

A equipe de reportagem da Rede Meio Norte se deslocou até a cidade de Elesbão Veloso, 160km de Teresina, para acompanhar o velório do estudante Antônio Rayron Holanda, de 22 anos, que foi morto com um tiro no peito, durante um assalto no domingo (25), por volta das 6h, no momento em que saia de um plantão no HUT e aguardava um ônibus em uma estação de passageiros, na avenida Miguel Rosa, zona Sul de Teresina.

De acordo com Wagner Sales, ex-professor e amigo da vítima, Rayron sempre pensava no próximo. “Fica difícil de falar do Rayron hoje porque acabou com os sonhos de todos nós, era um menino homem, você falava qualquer assunto para ele e ele estava pronto para discutir com objetividade e conhecimento, ele incentivava os colegas que estavam fracassados em termo de interesse, e não era questão de passar cola não, era buscar o interesse do colega até ele recuperar e atingir o objetivo alcançado, para mim foi um impacto muito grande, porque ele era meu amigo, não podia me ver que me dava livros, peço a Deus que dê superação para todos nós e nunca o esquecimento de Rayron”, disse.

A tia do estudante, Irene Soares, pediu Justiça sobre a questão da maioridade penal. “Eu queria muito que fosse feita essa mudança, que o futuro presidente faça. Porque é  menor mata daqui uns dias está solto? Vai matar de novo? Quantos outros Rayron não vão vir a óbito? Ninguém pode sair, ninguém pode sentar em uma calçada porque eles vêm e matam. A humanidade perdeu um excelente profissional”, desabafou.

A madrinha de Rayron afirmou que o afilhado vivia para os estudos. Rayron perdeu a mãe com cinco anos de idade no parto do irmão mais novo e por isso era bastante apegado as tias e a madrinha. “Ele sempre foi muito determinado, era aquela criança que você não precisava mandar fazer as tarefas, ele mesmo ia fazer, foi uma criança muito dedicada, a vida dele era muito corrida, mandava mensagem de madrugada dizendo que estava estudando, ele já estava muito ansioso pensando na residência que queria fazer, ele queria ser cirurgião. É uma profunda tristeza, você tirar a vida de uma pessoa por nada, não justifica”, falou ela emocionada.

Ronaldo José, gerente do centro cirúrgico do HUT, lamentou a perda precoce. “Rayron era um estudante dedicado, humano e acima de tudo muito estudioso, obediente, sempre estava a disposição nas suas atividades, desde ontem todo o centro cirúrgico chora a perda de um jovem de 22 anos que tinha todo um futuro pela frente, ele já tinha traçado a questão de fazer cirurgia geral, ele sonhava principalmente em ajudar o pai e o irmão”, disse.

“Para os amigos mais próximos morre um jovem cheio de vida e de sonhos, ele era uma pessoa bastante disciplinada, assíduo, cumpria seu horário, costumava trabalhar em equipe, um menino muito calmo, ele desenvolvia toda a atividade que a gente propunha pra ele”, afirmou Clarisse Santos, chefe do núcleo de estágio do HUT.

O menor de 15 anos, acusado de matar o estudante Antônio Rayron, é suspeito por dois homicídios em menos de 30 dias, acusado de furtos e roubos na região da avenida Miguel Rosa, mas nenhum ato infracional está registrado na polícia. Ou seja, oficialmente não tem nada contra o adolescente.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES