Emagrecimento: estudo revela se jejum intermitente realmente funciona

O jejum intermitente é uma estratégia usada por muitas pessoas que buscam emagrecer, mas ele é eficaz?

Avalie a matéria:
O jejum intermitente é usado por pessoas que querem emagrecer | Reprodução/Internet

O jejum intermitente é uma estratégia usada por muitas pessoas que buscam emagrecer. Ela consiste  em um grande período sem comer nada, intercalado com um pequena janela em que se deve consumir todos os nutrientes necessários. Mas será que isso funciona? Para chegar a uma resposta, pesquisadores compararam o resultado do jejum com o de outras dietas que permitem refeições facionadas ao longo do dia.

O estudo, que está disponível no Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases, comparou durante um ano pessoas que usavam o jejum intermitente com pacientes que aderiram a um modelo de dieta com refeições fracionadas durante o dia. Os pesquisadores constataram que a ingestão calórica nos dois grupos foi idêntica.

Além disso, percebeu-se ainda que questões como a perda de peso, melhora do HDL (Lipoproteína de alta densidade), melhora da glicemia de jejum, redução do triglicérides e melhora da pressão arterial também foram iguais. Vale ressaltar ainda que a sensação de fome foi mais expressiva entre aqueles que fazem jejum intermitente. Participaram do estudo 112 pessoas. Destas, 50% eram homens e 50% eram mulheres. Eles tinham idade entre 21 e 70 anos com IMC (Índice de massa corporal) de 30 a 45 kg/m 2.

Visão da especialista

A médica endocrinologista Claudia Chang explica, em entrevista ao Sport Life, que existem vários tipos de dietas voltadas para o processo de emagrecimento, mas elas não podem ser usadas de qualquer jeito, sem critérios. Ela afirma que o importante é identificar o padrão alimentar de cada pessoa, de acordo com metabolismo e necessidade.

“Se um indivíduo tem um padrão hiperfágico (muita fome), o fracionamento alimentar (não ficar longos períodos em jejum) pode ser uma estratégia adequada. Por outro lado, se o fracionamento não reduz a quantidade que o indivíduo ingeriria durante a refeição, já não haveria benefício significativo”, orienta.

A endocrinologista ainda explica pontos importantes sobre jejum intermitente e a respeito das comparações que envolvem esse padrão com outros planos de reeducação alimentar. “Com relação ao jejum intermitente, os estudos mostram que a resposta em perda de peso seria proporcional à redução da caloria total ingerida. Quando comparado aos outros métodos, a resposta é semelhante em termos de perda de peso e manutenção após. Com uma percepção maior de fome durante o período do jejum quando comparada à dieta fracionada. Independente de qual método escolhido, o mais importante é que o indivíduo entenda que o ideal é uma mudança permanente. E constante no estilo de vida”, termina Claudia Chang.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES