Exclusivo Piauí é o quarto na expansão elétrica no país em 2023, aponta ANEEL

No caso piauiense, esse desempenho é alavancado especialmente pelas fontes renováveis, o que reforça o papel do Estado no avanço da energia limpa e na busca por um futuro mais sustentável.

Avalie a matéria:

O Piauí está consolidando sua posição como um dos destaques na expansão da matriz elétrica do Brasil em 2023. De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) referentes ao período de janeiro a agosto, o Piauí ocupa a quarta posição no país em crescimento, com uma potência adicional de 460,9 MW.

Apenas três estados estão à frente: Minas Gerais, com 1.815,7 MW; Bahia, com 1.752,1 MW; e o Rio Grande do Norte, com 1.664,5 MW. No caso piauiense, esse desempenho é alavancado especialmente pelas fontes renováveis, o que reforça o papel do Estado no avanço da energia limpa e na busca por um futuro mais sustentável.

Leia Mais

A expectativa é que o avanço continue, para se ter ideia, semana passada, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a implantação de três novas usinas solares no Piauí, localizadas no município de Monte Alegre e de propriedade da Gilsun Geração de Energia SPE S.A. Juntas, essas usinas somam uma potência instalada superior a 130 mil MW, demonstrando o compromisso do Piauí com a expansão da energia solar.

Piauí na vanguarda nacional das energias renováveis (Foto: CCOM/Governo do Piauí)O Estado tem se destacado nacionalmente como líder na produção de energia renovável. Em 2022, o Piauí registrou o maior crescimento na geração de energia eólica, superando a média nacional para o mesmo período. Em agosto de 2023, o país viu um aumento significativo na capacidade instalada de energia, com 1.238,6 megawatts (MW) adicionados, sendo que 97,5% desse acréscimo vieram das fontes solar e eólica.

Cenário de expansão nacional

No Brasil, até o final de agosto, o crescimento acumulado em 2023 alcançou 6.925,1 MW, contribuindo para uma matriz elétrica brasileira com um total de 195,6 gigawatts (GW) em operação. As fontes renováveis correspondem a impressionantes 83,78% dessa capacidade, demonstrando o compromisso do Brasil com a energia sustentável.

Das adições de quase 7 GW este ano, 89,9% foram provenientes de usinas eólicas (46%) e solares fotovoltaicas (43,9%). Esses números se aproximam da meta de crescimento estabelecida pela Aneel para 2023, que é de 10,3 GW. O crescimento observado foi resultado da entrada em operação de 202 usinas comerciais.

Esse progresso não se limita a uma região específica do país, pois novas usinas começaram a operar em 18 estados, abrangendo todas as cinco regiões brasileiras.

Os dados do Sistema de Informações de Geração da ANEEL (SIGA) revelam que as fontes renováveis são fundamentais na matriz elétrica brasileira. Essas fontes são responsáveis por 83,78% dos 195,6 GW em operação, sinalizando um caminho promissor para o futuro da energia no país.

Veja Também
As opiniões aqui contidas não expressam a opinião no Grupo Meio.


Tópicos
SEÇÕES