Briga generalizada no Maracanã atrasa o início do jogo entre Brasil e Argentina

Confusão teve início após torcedores brasileiros vaiarem a execução do hino argentino. Setores do estádio estavam sem separação entre as torcidas

Avalie a matéria:
Briga entre torcedores e o policiamento no Maracanã | André Durão

Momentos após a execução do hino argentino, antes o início do jogo entre Brasil e Argentina, pela sexta rodada das eliminatórias da Copa do Mundo, uma confusão generalizada entre torcedores brasileiros e argentinos causou o atraso do início da partida, que estava marcado para as 21h30 dessa terça-feira, 21, no Maracanã. Após atuação da polícia e de dirigentes presentes no gramado, a partida teve início às 22h, com 30 minutos de atraso do horário marcado inicialmente.

De acordo com a reportagem da TV Globo, tudo começou por conta do hino nacional da Argentina ter tocado primeiro. Os brasileiros começaram a vaiar, o que não foi aceito pelos hermanos. Em meio as desavenças entre os torcedores, o policiamento entrou na situação e também começou a conflitar com argentinos, tentando desvencilhar alguns brasileiros da briga.

Getty Images | Torcedor é socorrido após ser ferido durante confusão no Maracanã

Nas imagens, foi visto um torcedor com a camisa do Boca Juniors com o rosto machucado e sangrando. No Maracanã, os argentinos estavam localizados bem ao lado dos brasileiros, sem qualquer policiamento ao redor, que acabou chegando somente depois da confusão já instaurada.

Reprodução TV Globo | Jogadores argentinos observam o início da briga entre as torcidas

Com a confusão, o início do jogo foi atrasado em 30 minutos. Os jogadores da Argentina e também o capitão da Seleção Brasileira, Marquinhos, foram até confusão para pedir calma para os torcedores. Houve cadeiras arremessadas, gritaria e muitas trocas de socos, principalmente do lado onde estavam localizados os argentinos.

Lionel Messi puxou os jogadores da Argentina para fora do gramado. Crianças e mulheres ficaram feridas, e saíram das arquibancadas chorando, segundo o repórter Eric Faria.

Veja Também
Tópicos
SEÇÕES