Justiça mantém prisão de suspeitos de matarem adolescentes em Teresina

Os três permaneceram presos cautelarmente durante o curso do processo até decisão judicial em contrário.

Avalie a matéria:
rt | 4e5

Em audiência de custódia realizada nesta quarta-feira (09) o juiz Valdemir Ferreira Santos decidiu pela legalidade das prisões do empresário João Paulo Carvalho, do tio dele, Francisco das Chagas Sousa e do primo Guilherme de Carvalho. Os três são suspeitos de torturar e matar os adolescentes Luian Ribeiro de Oliveira e Anael Natan Colin.

A Delegada Vanda Abreu Costa, Coordenadora da Audiência de Custódia explica que a audiência ocorreu dentro da legalidade e seguindo os preceitos processuais penais. Os suspeitos foram presos ontem (08) durante o cumprimento dos mandados da operação “Xeque-mate”, através do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).  

-  Família comemora prisões de suspeitos de matar adolescentes em Teresina

Justiça mantém prisão de suspeitos de matarem adolescentes em Teresina (Foto: Rede Meio Norte)

“A audiência analisou tão somente o ato de cumprimento dos mandados de prisão preventiva, não cabendo neste momento quaisquer apreciações sobre o mérito. Após a conclusão da referida audiência os presos foram encaminhados para o sistema prisional, atendendo-se a todas as previsões legais, uma vez que dois dos presos dispõem de prerrogativas durante o cumprimento do decreto judicial. A referida audiência atende aos normativos do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) previstos nos Tratados Internacionais de Direitos Humanos”, afirmou a delegada.

Os três permaneceram presos cautelarmente durante o curso do processo até decisão judicial em contrário. 

Segundo o Delegado Luiz Guilherme, que preside o inquérito do caso, foi encontrado na casa de João Paulo dois carregadores de uma pistola 9 milímetros que teria sido usada na execução dos jovens. A arma seria do empresário, que a passou para o seu primo, autor dos disparos conforme as investigações. A pistola foi jogada no rio após o crime, segundo o delegado.

“Com o cumprimento do mandado na residência do João Paulo foi apreendido carregadores e munições dessa pistola que foi supostamente utilizada pelo Guilherme e pelo João Paulo. Nesse momento, o inquérito está chegando ao fim. Nós iremos verificar qual a real conduta de cada qual. A prisão deles é realizado com provas robustas. Temos indícios que houve tortura, bem como a ocultação dos cadáveres. O que foi dito e comprovado em laudo pericial, que o disparo entrou na região da nuca e transfixou saindo pela parietal. Indícios de que houve uma situação de rendição e de que o disparo aconteceu possivelmente com a cabeça abaixada ou então deitados”, pontuou

DHPP encontra munições de pistola na residência do empresário João Paulo (Foto: Rede Meio Norte)

O delegado rebateu ainda possíveis hipóteses de divergências sobre a primeira soltura do empresário, ocorrida horas depois de sua primeira prisão no dia 25 de janeiro. Para ele, diante do avanço do caso, a liberação foi muito importante de um ponto de vista estratégico no andar do inquérito.  

“Essa liberação ela foi estrategicamente muito importante para o avanço, se não fosse ele, não teríamos também avançado ao ponto de chegar nos envolvidos do crime”, finaliza. 

Motivação do crime

Na primeira vez em que foi preso, o empresário João Paulo de Carvalho Gonçalves Rodrigues, confessou em depoimento que os jovens estavam em uma festa ao lado do sítio da sua família, quando pularam o muro da propriedade para realizar um assalto. Eles estariam armados com uma barra de ferro retirado da motocicleta em que andavam.

Nesse momento, eles acabaram sendo capturados e levados para um matagal, onde foram mortos a tiros no povoado Anajás, região da cacimba velha, na zona rural Leste de Teresina.

Jovens foram executados em um matagal na zona rural de Teresina (Foto: Redes sociais)

Relembre o caso

Luian Ribeiro de Oliveira, de 16 anos e Anael Natan Colins, de 17, haviam desaparecido após uma festa, realizada no dia 12 de novembro de 2021, em um sítio próximo à Ladeira do Uruguai, na zona Leste de Teresina.  

Após dois dias de buscas, os corpos dos adolescentes foram encontrados em um matagal às margens da PI-112, rodovia que liga a Teresina ao município de União. O DHHP chegou a levantar a hipótese de que Luian e Anael haviam sido mortos após uma briga de trânsito na madrugada em que foram assassinados.

 

 

 

 

 



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES