Dino mantém multa de R$ 70 mil contra Bolsonaro por destilar ofensas a Lula

Além do caso de Bolsonaro, o STF também negou recursos apresentados pela deputada Carla Zambelli e pelo deputado Nikolas Ferreira

Jair Bolsonaro e Flávio Dino | Montagem/MeioNews
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Flávio Dino, rejeitou o recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) contra a multa de R$ 70 mil aplicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por publicar críticas a Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante as Eleições de 2022. A decisão foi assinada em 21 de março, sendo publicada nesta terça-feira (2).

Ao negar o pedido, Dino, relator do caso, justificou que não há uma norma específica na legislação eleitoral que trate da proporcionalidade da sanção e da individualização da pena no contexto de propaganda política. O caso em questão refere-se a publicações nas redes sociais associando Lula a termos pejorativos durante a corrida eleitoral.

A multa de R$ 70 mil foi calculada com base nos gastos da campanha para produzir o material contestado. Em um vídeo divulgado no canal do YouTube do Partido Liberal (PL), a imagem de Lula foi relacionada a termos como "espertalhões, ladrões, presidiários e assaltantes do dinheiro público".

Além do caso de Bolsonaro, a Suprema Corte também negou recursos apresentados pela deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) e pelo deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) contra multas aplicadas pelo TSE. Zambelli tentou reverter uma condenação de R$ 30 mil por compartilhar fake news sobre as urnas eletrônicas, enquanto Ferreira apresentou recurso contra multa de mesmo valor por espalhar desinformação sobre o PT e Lula durante as eleições.

Para mais informações, acesse meionews.com



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES