Delegado fala da dinâmica do crime de feminicídio ocorrido na cidade de Altos

Marcos ainda se encontra sob custódia no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), em tratamento médico

Avalie a matéria:
Acusado e vítima de crime na cidade de Altos | Reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

O delegado titular da Delegacia do município de Altos, André Moreno, concluiu o inquérito que investiga o feminicídio de Helioene de Andrade, morta a tiros e facadas pelo ex-companheiro Marcos Fortes, no último dia 3 de maio, em uma casa na cidade de Altos, região norte do Piauí. André detalhou a dinâmica de como o crime ocorreu.

"A dinâmica se deu após o indivíduo não se conformar com o término do relacionamento. Ele invadiu a casa da ex-companheira, munido de gasolina, arma de fogo, faca e atentou contra a vida dela. Segundo as nossas investigações, ele teria colocado fogo na companheira, logo que chegou, e depois efetuado disparos de arma de fogo e facadas, uma delas no pescoço, que veio realmente a levar a óbito a vítima. Não contente com isso, ele também teria jogado gasolina contra as outras duas mulheres que estavam na casa, a mãe e irmã da vítima, o fogo se alastrou, elas ficaram queimadas, foram levadas ao hospital. Havia também um adolescente de 13 anos e infelizmente ele não resistiu aos ferimentos das queimaduras e veio a óbito", disse André Moreno.

O delegado informou que o acusado será indiciado pelo homicídio de Helioene, com a qualificadora de feminicídio, duplo homicídio tentado, com qualificadora de feminicídio da mãe e irmã de Helioene e homicídio qualificado por assassinato por meio cruel do filho de Helioene, um menor de 13 anos.

"Houve o feminicídio, pois era uma relação de íntima, entre homem e mulher, tem também a questão das outras mulheres feridas, sogra e cunhada do acusado e agora ele responde por um feminicídio consumado, dois feminicídios tentados e um homicídio qualificado", disse o delegado.

Marcos ainda se encontra sob custódia no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), em tratamento médico.

"O indivíduo está hospitalizado, obviamente, custodiado pela polícia e agora pende contra ele uma decisão judicial de prisão preventiva. Ele se recuperando, evidentemente, vai continuar preso", concluiu o delegado.



Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES