Vídeo mostra colisão que deixou músico morto em Teresina; vítima foi arremessada

Imagens mostram pessoa sendo arremessada para fora do veículo no momento da batida.

Avalie a matéria:
Imagens de câmera de segurança | Reprodução

Uma câmera de segurança registrou o momento da colisão que deixou músico Carlos Henrique de Araújo Rocha morto em Teresina, na madrugada da última quinta-feira (30). Nas imagens é possível ver que uma pessoa chega a ser arremessada para fora do carro em que estava o baixista. 

O QUE MOSTRAM AS IMAGENS? 

Após as diferentes versões sobre o que teria causado a morte do baixista, onde a primeira versão apontava que ele teria sido baleado e posteriormente que ele havia ido a óbito após o forte impacto da colisão, o vídeo mostra o carro em que estava o músico atingido violentamente na lateral, no cruzamento da Avenida Dom Severino com a Avenida Presidente Kennedy, na zona Leste da capital. O outro veículo envolvido no acidente estava sendo conduzido por bandidos. 

Diante da forte pancada, uma pessoa foi sacada do carro e arremessada para o outro lado da avenida, possivelmente o corpo de Carlos Henrique. Uma viatura da Polícia Militar, que estava perseguindo os criminosos, parou mais a frente, ocorrendo uma troca de tiros com os criminosos, o que descarta a possibilidade de que o músico foi baleado.

REVIRAVOLTAS NO CASO

A primeira versão, de que o músico havia sido atingido com um dos disparos na cabeça durante a troca de tiros entre a PM e os bandidos, havia sido descartada quando o Instituto Médico Legal (IML) divulgou o laudo da causa da morte: politraumatismo com ação contundente. 

“Houve micro hemorragia no cérebro, tinha inchaço nos dois pulmões, perfurações no pulmão direito, muito sangue, e tinha cinco costelas quebradas de um lado e do outro, além de um esterno fraturado, que é onde causa convulsão no coração”, explicou Antônio Nunes, diretor do IML.

Porém, após a repercussão do caso, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), emitiu uma nota na manhã desta segunda-feira (04), relatando que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) havia informado que o músico estava tinha uma lesão causada por disparo de arma de fogo, contradizendo o laudo. 

Pela tarde, o IML se pronunciou sobre o caso afirmando que não havia dúvidas sobre a morte e que “foi o IML quem abriu a cabeça, e não tinha.  Tem lesões, e eles entenderam que era um projétil de arma de fogo, só que não tem lesão no crânio”, explicou o doutor Antônio Nunes, diretor do IML.

O Secretário de Segurança do Piauí, Chico Lucas, esclareceu que “não há evidência alguma de que ele foi alvejado por disparo de arma de fogo”. 

Leia Mais


Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Tópicos
SEÇÕES