Avião avaliado em R$ 2 milhões é incendiado após apreensão da PF em garimpo no PA

A Policia Federal prendeu os dois pilotos, e logo após a prisão dos mesmos a aeronave começou a pegar fogo; Investigações continuam

Avalie a matéria:
Imagens do avião durante e pós incêndio | (Foto: Policia Federal)

Um avião bimotor avaliado em R$ 2,2 milhões foi incendiado após ter sido apreendido pela Polícia Federal (PF) e pela Polícia Militar (PM) no aeroporto de um garimpo pertencente à cidade de Itaituba, sudeste do Pará. Investigações apontam que a aeronave também estava clonada, e o piloto com documentação vencida há anos.

O caso foi confirmado neste sábado (01) pela PF. Segundo a corporação, os agentes militares receberam uma denúncia de que um avião carregado com droga iria pousar no garimpo de Creporizão, distrito que é de posse do município, mas fica a cerca de 10 horas de distância do centro por estrada. 

INVESTIGAÇÃO:

Ao investigar, as autoridades descobrirar que o piloto principal estava com certificado vencido e não podia pilotar desde 2020. Ele e o copiloto, segundo informações da PF, operavam o avião sem plano de voo e já tinham sido presos anteriormente acusados de tráfico de drogas, crime pelo qual respondem na Justiça. Na revista do avião não foi localizada droga, mas encontrados galões de diesel e gasolina, segundo os agentes federais.

Imagens internas da aeronave modelo Beech Aircraft (Foto: Policia Federal)

Os dois pilotos que estavam no avião foram autuados por expor a perigo a segurança de transporte aéreo e adulterar o sinal identificador de veículo automotor. Os individuos foi encaminhada ao Posto Avançado da PF em Itaituba e, após a Justiça confirmar a prisão, foram levados até a Unidade de Custódia e Reinserção da cidade.

QUEM INICIOU O INCÊNDIO?

Segundo a PF, o fogo começou após os dois homens serem presos e a causa ainda é desconhecida. A PF afirmou que uma equipe foi destinada ao local para fazer a perícia dos destroços do veículo e colher informações que possam levar aos autores do crime.  "A suspeita é de que os pilotos fazem parte de uma organização criminosa que decidiu incendiar a aeronave para eliminar provas", explicou a PF.

Leia Mais


Participe de nossa comunidade no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link

Baixe nosso app no Iphone, clique neste link


Veja Também
Tópicos
SEÇÕES